Mais de 300 delegados de cerca de 100 países estão em Portugal numa reunião de preparação, onde foram conhecidos os preços dos vários pacotes de peregrino

Fátima, 17 out 2022 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa afirmou hoje que a Jornada Mundial da Juventude que vai decorrer em Portugal, entre os dias 1 e 6 de agosto de 2023, é uma “ocasião ótima” de rejuvenescimento e para “criar o futuro”.

“É muito necessário proporcionar não só à Igreja e aos jovens católicos, mas até à sociedade portuguesa, que integramos em grande parte, uma oportunidade de rejuvenescimento: outra maneira de estar, de conviver, falar, de dar opiniões, criar futuro. E uma Jornada Mundial da Juventude é uma ocasião ótima para isso, como temos verificado naquelas que se vêm realizando desde os anos 80”, afirmou D. Manuel Clemente.

Em declarações aos jornalistas em Fátima, onde decorre o Encontro Preparatório Internacional da JMJ Lisboa 2023, o patriarca de Lisboa disse também que uma das razões porque Lisboa foi aceite como candidatura para a próxima Jornada Mundial da Juventude “tem a ver com a geografia”.

“Se olharmos para Portugal, no conjunto dos continentes, nesta pontinha ocidental da Europa, que olha para a América, que olha para a África e advinha o resto, é uma boa possibilidade”, afirmou, referindo que o encontro preparatório é já representativo do envolvimento de todo o mundo na preparação da JMJ.

O cardeal-patriarca de Lisboa apontou também a próxima JMJ como ocasião para “ultrapassar o confinamento” por parte de uma geração que viveu confinada “numa altura da sua existência em que mais precisam de conviver”, e uma “oportunidade acrescida” para “resolver o que é preciso resolver, também na vida da Igreja”, para “a sua purificação, para o seu rejuvenescimento e para a sociedade em geral”.

Duarte Ricciardi, secretário-executivo do Comité Organizador Local (COL) da JMJ Lisboa 2023, lembrou à comunicação social que a organização quer que “a jornada seja verdadeiramente global, verdadeiramente aberta a todos os jovens”.

“Que todo os jovens possam participar é o mais importante para nós”, afirmou em Fátima, no Centro Paulo VI, onde decorre o Encontro Preparatório Internacional da JMJ.

Para o padre João Chagas, responsável pelo setor da juventude do Dicastério para os Leigos, Família e Vida, que organiza o Encontro Preparatório Internacional com o COL da JMJ Lisboa 2023, “a JMJ não é só um evento, mas uma oportunidade para criar uma rede, para animar o trabalho de pastoral juvenil no mundo inteiro”, também através deste encontro que decorre em Fátima até ao dia 20.

“Este é um momento de encontro: temos cerca de 300 delegados de cerca de 100 países e isso permite criar uma rede internacional que da parte da Igreja procura acompanhar os jovens onde eles se encontram”, afirmou à comunicação social.

O padre João Chagas lembrou que a preparação da JMJ Lisboa 2023 está a acontecer “no meio de desafios únicos”, nomeadamente “a pandemia, a situação de guerra, tudo o que se produz a nível económico”, que valoriza “o que de melhor o povo português pode dar”.

A primeira parte da preparação aconteceu na fase mais difícil da pandemia, foi mais difícil os encontros e as reuniões mas mesmo assim tem-se trabalhado muito bem e, em especial nesta fase, todo o potencial que ficou contido e não pode ser tão evidente, está a aumentar essa intensidade da preparação”, sublinhou.

Para presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 o Encontro Preparatório Internacional é uma ocasião para partilhar “com o mundo inteiro a logística, as inscrições, os alojamentos, tudo o que são coisas práticas da organização” e também para ouvir as várias delegações sobre experiências de jornadas anteriores e expectativas para a próxima.

“Recolhermos opiniões, ideias, pedidos, para correspondermos mais às expectativas de cada um, até para acertarmos bem o que são as sensibilidades asiáticas, europeias, americanas, africanas. Para nós é muito importante este contacto cara a cara”, afirmou D. Américo Aguiar.

No encontro com delegações de todo o mundo, foi dado a conhecer o preço dos vários pacotes de peregrinos e que corresponde à participação de cada um nos gastos de alimentação, alojamento, transportes, seguro e kit do peregrino.

Para toda a semana da jornada, fica a cargo de cada peregrino o montante de 235 Euros (230 Dólares); quem se inscreve só no fim de semana 125 Euros (120 Dólares); e aos voluntários, para duas semanas e de igual forma com tudo incluído, terão um pacote especial por 145 Euros (140 Dólares).

“O que tentámos foi esmagar ao máximo o que possam ser os custos a repercutir no que é o esforço de cada jovem, para que eles possam participar, mas com algum receio e algum medo dos preços reais da vida e das coisas em agosto de 2023”, afirmou D. Américo Aguiar, acrescentando que foi necessário “arriscar”.

O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 disse que a organização partilhou com os jovens “o menor esforço possível para que eles possam participar, esperando que corra bem e, se correr menos bem, caberá à organização encontrar soluções para a diferença que possa surgir”.

O Encontro Preparatório Internacional decorre hoje e amanhã em Fátima; na quarta-feira os participantes vão visitar locais da cidade de Lisboa relacionados com a preparação e a realização da JMJ Lisboa 2023.

OC/PR

Partilhar:
Share