Cruz e Ícone seguem para os Açores, oitava etapa da peregrinação nas dioceses portuguesas

Funchal, Madeira, 26 mai 2022 (Ecclesia) – A Diocese do Funchal despediu-se dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), esta terça-feira, em clima de festa e com uma Eucaristia de envio dos jovens católicos, presidida por D. Nuno Brás.

O bispo diocesano lembrou que a presença destes Símbolos, entre nós foram um “sinal que convida a peregrinar”, apelando à “conversão”.

“Quando Deus nos dá o seu Espírito, dá-nos a sua vida; quando nós acolhemos essa vida passa a ser a vida de Jesus, desde a realidade mais pequenina à realidade mais complexa”, acrescentou, numa intervenção divulgada pelo ‘Jornal da Madeira.

Acreditar é viver ao ritmo de Jesus, acreditar é respirar com Jesus, é quando a nossa vida deixa de ser nossa e passa a ser a vida de Jesus, quando aquilo que fazemos, deixa de ser nosso para ser de Jesus”.

O bispo do Funchal sublinhou a vida de Jesus deve chegar ao “resto do mundo”, o que exige uma fé “vivida seriamente e sem vergonha”.

“Que os jovens da nossa diocese que vivem ao ritmo de Jesu, sejam sempre e cada vez mais”, desejou.

No final da celebração, D. Nuno Brás agradeceu ao COD do Funchal, dirigido pelo padre Carlos Almada, “que fizeram das tripas coração e um coração muito grande”.

À Eucaristia, seguiu-se um arraial no pátio das instalações da antiga Universidade Católica, encerrando a passagem dos símbolos da JMJ pela Madeira e Porto Santo.

A Cruz da Jornada Mundial da Juventude e o Ícone de Nossa Senhora percorrem as dioceses de Portugal até julho de 2023; a próxima etapa da peregrinação, a oitava desde o seu início, no Algarve, é a Diocese de Angra (Açores).

A JMJ nasceu por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

A primeira edição aconteceu em 1986, em Roma, e desde então a JMJ já passou pelas seguintes cidades: Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colónia (2005), Sidney (2008), Madrid (2011), Rio de Janeiro (2013), Cracóvia (2016) e Panamá (2019).

OC

 

Partilhar:
Share