D. Américo Aguiar desafiou jovens a ser «influencers» do encontro mundial em Lisboa

Loulé, 27 set 2023 (Ecclesia) – O Comité Organizador Diocesano (COD) do Algarve para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023 apresentou os patronos locais para o itinerário que leva até ao encontro na capital portuguesa, no próximo verão.

A Diocese do Algarve escolheu o beato Vicente de Albufeira, São Gonçalo de Lagos e Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, como “irmãos e irmãs de caminhada, informa o jornal diocesano ‘Folha do Domingo’.

“Nenhum dos jovens fará este caminho sozinho. Eles serão acompanhados pela Virgem Maria e também pelos santos e beatos, patronos da Jornada. Tais patronos não são ‘heróis do passado’ nem ‘celebridades’ distantes, mas irmãos e irmãs na fé que querem partilhar com todos os jovens a sua própria experiência de terem seguido a Cristo enquanto jovens e pelas diversas aventuras que a vida lhes proporcionou”, indicaram os responsáveis do COD, no encontro mensal diocesano ‘Rumo ao 23’ de setembro.

O presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, presidiu a este encontro de caminho para a próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude, realizado no Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Loulé.

“Espero que cada um de vocês convide todos os jovens que andam na catequese, nos escuteiros, nos acólitos, que participam na Igreja, mas [também] todos aqueles que não participam em nada e, se calhar, até nem conhecem Cristo. E nós temos de perder a vergonha e sermos capazes de falar de Jesus”, disse o responsável, recordando o compromisso que os jovens algarvios assumiram de levarem a todos o convite para a JMJ 2023.

O bispo auxiliar de Lisboa referiu ainda aos jovens que devem “testemunhar ao mundo inteiro” a “riqueza de [serem] filhos amados de Deus”.

Já D. Manuel Quintas, bispo da Diocese do Algarve, incentivou os jovens a convencer outros a participar no encontro de Lisboa com o Papa.

“Era tão bom se cada um de vós arranjasse outro jovem para começar a participar neste caminho, nestes dias 23, e quem sabe se depois, com o contágio do grupo, se anima e começa também este percurso descoberta da pessoa de Cristo e do que significa encontrar na JMJ as centenas de milhares de jovens e fazer uma experiência única na sua vida”, afirmou.

O encontro realizado no último dia 23 teve como temática a importância da pesca, como metáfora para a vida cristã, e desafiou os jovens a escolherem ser o “pescador”, a “rede” ou o “peixe”.

“Se Cristo nos chama a ser ‘pescadores’, não nos contentemos em ser ‘rede’ ou ‘peixe’”, disse o bispo D. Manuel Quintas, aos jovens que escreveram a sua escolha num papel em forma de peixe deixado simbolicamente numa rede aos pés do altar.

Neste encontro foi também apresentada a réplica da cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude entregue à Diocese do Algarve, e que simboliza a passagem dos símbolos da JMJ por esta Igreja local, em novembro de 2021, e terminou com a promessa dos participantes de se reencontrarem em Lisboa.

CB/OC

Partilhar:
Share