D. Francisco Senra Coelho incentiva à inscrição, para que «nenhum jovem fique parado»

Coruche, 22 nov 2022 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora destacou que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é uma iniciativa da Igreja Católica com “uma amplitude cívica, social, nacional e internacional”, considerando a edição de Lisboa 2023 como “um grande serviço à sociedade”.

“Milhões de pessoas vão ser contactadas por centenas de milhares de jovens que vão contar o que é Portugal. Esta é uma dimensão publicitária com um peso de valor histórico, cultural, turístico, gastronómico, único que a Igreja está a oferecer ao país”, disse D. Francisco Senra Coelho, em declarações ao ‘Ser Igreja Évora’ e enviadas hoje à Agência ECCLESIA.

O arcebispo apontou ao desafio de ser “construtores da paz”, ao receber culturas, línguas, etnias dos cinco continentes.

“Vamos ser plataformas de paz, porque a paz constrói-se a partir do convívio do conhecimento, a onde se rompem barreiras e a onde se percebe como se vive no dia-a-dia a tolerância”, assinalou.

O responsável católico lembrou que na Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023, de 1 a 6 de agosto, e nos ‘Dias nas Dioceses’, o encontro de jovens nas Igrejas locais na semana anterior ao encontro na capital portuguesa, de 26 a 31 de julho, Portugal vai receber “centenas de milhares de visitas que vão entrar pela casa dentro”.

“Que fique um Portugal marcante que eles levam, porque vamos fazer um grande serviço à sociedade portuguesa”, observou.

D. Francisco Senra Coelho salientou que a Jornada Mundial da Juventude é uma iniciativa da Igreja Católica “com uma amplitude cívica, social, nacional e internacional” que transcende em muito as fronteiras a Igreja, e sublinhou que “é um serviço de fraternidade, de solidariedade, de diálogo e tolerância”, que vai fazer pontes para a convivência na diferença, “única ponte que alicerça a paz”.

No contexto da Jornada Diocesana da Juventude de Évora, que reuniu “cerca de cinco centenas de jovens de toda a diocese”, este sábado, em Coruche, o arcebispo adiantou que os participantes anteviram um pouco “o que vai ser a grande experiência” que vão ter a oportunidade de viver no verão de 2023 e incentivou às inscrições.

“Que nenhum jovem fique parado, e, atenção, não nos esqueçamos, eu com 61 anos também sou Jornada Mundial da Juventude. Atenção, a Jornada Mundial da Juventude abraça os pais, abraça os avós, abraça a família, abraça Portugal: É um acontecimento Portugal, é um acontecimento mundial em Portugal, Lisboa”, desenvolveu.

A XXXVII Jornada Mundial da Juventude celebrou-se nas dioceses católicas, por ocasião da solenidade litúrgica de Cristo-Rei (20 de novembro), e vai realizar-se também, a nível internacional, em Lisboa de 1 a 6 de agosto de 2023, com o tema ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’, uma passagem do Evangelho segundo São Lucas (Lc 1,39).

A JMJ nasceu por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

CB/OC

Évora: Arcebispo destaca «onda juvenil» em encontro diocesano

Partilhar:
Share