Em 2018, 387 jovens «invisíveis» contactaram projeto «Preocupo-me contigo»

Cidade do Vaticano, 31 jul 2018 (Ecclesia) – A Associação dos Salesianos para o Social, em Itália, dinamiza o projeto ‘Preocupo-me contigo’ direcionado para o cuidado e inserção de migrantes menores que estão sozinhos e, este ano, já foram contactados por “387 jovens”.

“Os jovens que contactamos definimos como ‘os últimos’. São os que estão fora do programa casa-família, e que andam pelas ruas, dormem e vivem inúmeras aventuras, muitas vezes dramáticas e trágicas”, explicou o presidente da associação salesiana, divulga o portal ‘Vatican News’.

O padre Giovanni D’Andrea realça que “o mundo das ruas é cruel e violento” e os jovens a quem se dedica o programa “dormem em lugares inseguros não só do ponto de vista ambiental”, mas também pelas pessoas que podem encontrar nestes lugares.

“Durante um mês fiquei fechado numa casa com 120 pessoas, tínhamos pouca água e comida. Não era permitido sair. Podíamos ir à casa de banho uma vez por dia, e durante a noite piolhos e carrapatos que não nos deixavam dormir”, contou um jovem nigeriano que agora é maior de idade.

Durante esse tempo estiveram a ser vigiados por “homens armados” e na madrugada de 23 de junho de 2015, “às 2h30”, foram levados “para a praia obrigando-nos a entrar num barco insuflável” e atravessou o Mar Mediterrâneo, da Líbia para Itália, na altura com 15 anos.

Desde o início deste ano, 387 jovens “invisíveis” já se aproximaram do projeto ‘Preocupo-me contigo’, que conta com educadores de rua, psicólogos e voluntários que garantem aos menores ajuda de emergência e oportunidades de estudo, como um curso de italiano, formação profissional para entrarem no mercado de trabalho, e assistência para terem documentação de reconhecimento como refugiados.

O padre Giovanni D’Andrea conta que “são jovens muito simples” e, tudo a que foram submetidos, “faz com que sejam muito desconfiados” e “não confiam facilmente nas pessoas”.

“No início é normal que sejam assim, é preciso muita paciência, conversar muito com eles mesmo de coisas banais”, acrescentou o sacerdote.

Em ação há dois anos, a iniciativa da Associação dos Salesianos para o Social, Federação SCS/CNOS (Serviços Civis e Sociais – Centro Nacional Obras Salesianas), começou em Roma e já se encontra em mais três cidades italianas: Turim, Nápoles e Catânia.

Segundo o padre Giovanni D’Andrea, apenas um em cada 10 jovens cumprem na totalidade o percurso: “Dom Bosco dizia que em cada jovem há um ponto acessível ao bem, mesmo no mais miserável”.

A ‘Save the Children’ contabiliza que em 2017 chegaram mais de 17 mil menores a Itália e 15.779 estavam sozinhos, divulga o sítio informativo do Vaticano.

A organização não governamental de defesa dos direitos da criança informa que cerca de cinco mil vivem perto das estações de comboio das grandes cidades e “todos os dias correm o risco de se envolverem em atividades criminosas ou caírem nos circuitos de exploração sexual”.

CB/OC

Partilhar:
Share