Foto: Lusa

Castanheira de Pêra, Coimbra, 17 jun 2019 (Ecclesia) – A igreja Matriz de Castanheira de Pêra acolhe hoje uma Missa em memória das vítimas dos incêndios de Pedrogão Grande, num dia em que se assinala o segundo aniversário daquela tragédia.

A Eucaristia, presidida pelo vigário-geral da Diocese de Coimbra, o cónego Pedro Lopes de Miranda, conta com a participação do presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, e do primeiro-ministro, António Costa.

O incêndio de 17 de junho de 2017, considerado um dos mais graves de sempre no país, teve o seu epicentro em Pedrogão Grande, na Diocese de Coimbra, e provocou 66 mortos, cerca de 250 feridos, e destruiu mais de 500 casas e perto de 20 mil hectáres de floresta.

No total, estima-se que esta tragédia tenha causado um prejuízo direto de cerca de 193 milhões de euros.

Antes da Missa em honra das vítimas, por ocasião do segundo aniversário do incêndio de Pedrogão Grande, os presidentes das 7 autarquias afetadas pelas chamas de há dois anos estiveram reunidos com representantes do Governo, para analisarem o que é que já foi feito em termos de trabalhos de reconstrução e perceber o que ainda falta concretizar.

De acordo com as autoridades, dois anos depois dos fogos foram reconstruídas 90 por cento das casas afetadas, com um terço deste valor a dizer respeito a novas construções e as restantes a reconstruções parciais.

No meio dos trabalhos de apoio às populações decorrem ainda dois processos: um que diz respeito ao apuramento de responsabilidades relacionadas com esta tragédia; e o outro ligado a irregularidades no processo de reconstrução das casas.

A seguir à Eucaristia, a reunião entre os representantes do Governo e os presidentes das autarquias afetadas pelos fogos vai prosseguir.

Está prevista a assinatura de um protocolo de entendimento entre a Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrogão Grande e as Infraestruturas de Portugal para a construção de um monumento às vítimas do incêndio.

JCP

Partilhar:
Share