Cerca de 50 economistas e empreendedores são portugueses, uma das maiores representações entre 115 países

Cidade do Vaticano, 10 jan 2019 (Ecclesia) – O Vaticano informou hoje que mais dois mil jovens já estão inscritos no encontro ‘A Economia de Francisco’, convocado pelo Papa e que se vai realizar de 26 a 28 de março, em Assis.

“Em Assis, os protagonistas serão os jovens que vão expor as suas ideias sobre o mundo, porque já o estão a mudar, na linha da frente da ecologia, da economia, do desenvolvimento, da pobreza”, disse o diretor científico deste encontro.

Segundo o professor Luigino Bruni, ‘A Economia de Francisco’ vai ser um “laboratório de ideias e práticas” onde os jovens se vão encontrar num “ritmo lento” e ter a possibilidade “de pensar e se perguntar”, nas pegadas de São Francisco de Assis, “o que significa construir uma nova economia à medida do homem e para o homem”.

“O desenvolvimento do evento tem uma relação com São Francisco, com sua experiência de vida e suas escolhas, que têm valor também na economia”, realçou o bispo de Assis, D. Domenico Sorrentino, indicando que o santo italiano, fundador dos Franciscanos, “escolheu” entre “uma economia de egoísmo e uma economia do dom”.

“O seu despojamento diante dos olhos do pai e do bispo de Assis é um ícone inspirador para o evento de março; esperamos que o clima espiritual desta cidade o possa marcar”, acrescentou.

Luigino Bruni destaca que os três dias vão terminar com a “assinatura de um pacto” entre os jovens economistas e o Papa Francisco.

A organização informa que há 3300 os pedidos de participação e já estão inscritos mais de dois mil jovens economistas e empreendedores, com menos de 35 anos, provenientes de 115 países.

Os países com maior número de inscrições são Itália, Brasil, EUA, Argentina, Espanha, Portugal, com cerca de 50 participantes – como Tomás Virtuoso e Mariana Morais Sarmento, França, México, Alemanha, Grã-Bretanha, divulga o sítio online ‘Vatican News’.

A cidade italiana de Assis, onde nasceu São Francisco, vai estar organizada em 12 “aldeias” onde vão estar em debate temas como o trabalho e cuidado; gestão e dom; finança e humanidade; agricultura e justiça; energia e pobreza; lucro e vocação; políticas para a felicidade; CO2 da desigualdade; negócios e paz; Economia é mulher; empresas em transição; vida e estilos de vida.

A Associação Cristã de Empresários e Gestores de Portugal (ACEGE) está associada ao encontro ‘A Economia de Francisco’, e o seu presidente afirmou que esta iniciativa “não é contra ninguém”, mas para “promover a inclusão, a diversidade”.

“O primeiro passo é despertar consciências e comprovar que há novos caminhos que são possíveis. O segundo passo é mobilizar os mais seniores, porque a riqueza intergeracional tem de existir”, exemplificou João Pedro Tavares na entrevista semanal conjunta à ECCLESIA e Renascença, publicada hoje.

A partir da próxima terça-feira, dia 14 de janeiro, o encontro ‘A Economia de Francisco’ vai estar em destaque no programa ECCLESIA até março, na RTP2, pelas 15h00, e começa com a análise ao presidente da Associação Cristã de Empresários e Gestores de Portugal.

CB/OC

 

 

Partilhar:
Share