Serviço Pastoral pede que comunidades católicas sejam pró-ativas

Lisboa, 10 jan 2020 (Ecclesia) – O Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência do Patriarcado de Lisboa acaba de publicar um “guia para o acolhimento eclesial a pessoas com deficiência”, intitulado “Uma Igreja para Todos”, que apela à sua valorização.

O documento, que passa a estar disponível para consulta em todas as paróquias da diocese, a partir deste mês de janeiro, convida os católicos a “uma atitude pró-ativa, com vista ao acolhimento e à inclusão das pessoas com deficiência”, identificando “necessidades não verbalizadas”.

O documento resulta da adaptação da publicação ‘La persona com discapacidad y su lugar en la Iglesia’, editada pela Arquidiocese de Madrid.

Entre os vários objetivos enunciados estão propostas para “favorecer a participação e a visibilidade das pessoas com deficiência nas atividades da paróquia”, ou “promover atividades em que possam participar”.

O organismo do Patriarcado de Lisboa assume a intenção de “promover melhor o acolhimento dos irmãos com deficiência e valorizar a sua presença na Igreja”.

Este “é um guia que pretende apoiar e promover o acolhimento dos irmãos com deficiência que, por isso, não deixam de ter dons e capacidades fundamentais para a atividade pastoral de cada paróquia”, prossegue Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência, em comunicado divulgado pelo Patriarcado de Lisboa.

O guia aborda a realidade de pessoas com deficiências intelectuais, físicas, deficiências visuais e/ou auditivas.

Em 2019, o Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência do Patriarcado de Lisboa promoveu um inquérito entre as paróquias católicas, o qual revelou “sensibilidade” do clero relativamente a este tema.

“Os resultados apontam para uma cobertura ampla de situações em que há uma preocupação ativa no acolhimento e integração comunitária dos paroquianos com deficiência”, realçava a síntese dos resultados, enviada à Agência ECCLESIA.

O Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência do Patriarcado de Lisboa foi criado em 2017 para promover a inclusão e participação plena da pessoa com deficiência na vida da Igreja.

“Os resultados deste inquérito permitem-nos começar caminhos concretos alinhados com a realidade e estabelecer prioridades de acordo com as necessidades da diocese. O Serviço quer estar presente onde possa ser mais necessário, seja na paróquia, nas instituições ou a trabalhar com as famílias das pessoas com deficiência”, assinala o texto que foi apresentado aos responsáveis pelas várias vigararias (conjuntos de paróquias), no último dia 1 de outubro.

Entre as várias iniciativas do secretariado encontra-se o projeto ‘rampas de acesso a Jesus’, que pretende tornar a Igreja mais inclusiva para as pessoas com deficiência e construir comunidades que as saibam “acolher e integrar”.

OC

Partilhar:
Share