«Chocam-nos as manifestações de desprezo de idosos», sublinha D. José Cordeiro

Bragança, 17 abr 2019 (Ecclesia) – O bispo de Bragança-Miranda dedicou uma carta-mensagem aos mais idosos da região, no âmbito das visitas pastorais que tem estado a promover às instituições sociais ligadas à Igreja Católica na diocese.

No documento, enviado à Agência ECCLESIA, D. José Cordeiro destaca os mais velhos como um essencial “capital de vida e de conhecimento experimentado”, e critica a atual mentalidade da sociedade.

Onde “a velhice aparece associada à doença, à debilidade, à incapacidade e, por conseguinte, à improdutividade”, e as pessoas mais idosas são muitas vezes encaradas “como um incómodo”.

“Chocam-nos as manifestações de desprezo de idosos, o abandono destes em casa ou em lares, muitos dos quais apenas perseguindo o lucro económico”, aponta o responsável católico, que exorta a uma forma nova de encarar uma etapa etária que, como recorda o Papa Francisco, “é a sede da sabedoria da vida”.

“A palavra invalidez não pode, de modo nenhum, caracterizar esta fase da vossa vida”, refere o bispo de Bragança-Miranda, que destaca depois os momentos que teve oportunidade de partilhar com os utentes das várias IPSS canónicas que visitou.

“Tenho tido a oportunidade de me encontrar com muitos de vós, de visitar as vossas alegrias, de acolher os vossos desabafos, de me sentir interpelado e solidário com os vossos sofrimentos e apreensões. Agradeço de todo o coração o vosso testemunho, pois tenho aprendido muito convosco. Bem hajam!”, completa D. José Cordeiro.

A Diocese de Bragança-Miranda conta atualmente com 14 Santas Casas da Misericórdia, 50 centros sociais e paroquiais, seis fundações canónicas e a Cáritas Diocesana.

Pelo menos 70 por cento das instituições particulares de solidariedade social da região estão ligadas à Igreja Católica.

Sobre as populações mais idosas do território, o bispo de Bragança-Miranda já alertara no início do ano para a situação do número elevado de pessoas de mais idade que vivem literalmente abandonadas em camas de hospitais no Distrito de Bragança.

No âmbito de toda esta preocupação, D. José Cordeiro espera concretizar em breve um primeiro encontro de IPSS católicas nesta região transmontana, para abordar estas problemáticas.

JCP

Partilhar:
Share