Presidente da Câmara de Lisboa saudou também a nomeação do Papa Francisco

Lisboa, 01 mar 2019 (Ecclesia) –  O presidente da República afirmou hoje que D. Américo Aguiar vai ser um “bispo muito completo” e contribuiu para “o mérito” da Igreja Católica em Portugal acolher a Jornada Mundial da Juventude em 2022.

Em declarações à Renascença, Marcelo Rebelo de Sousa disse que felicitou o novo bispo auxiliar de Lisboa “a vários títulos”, porque “representa o reconhecimento de um percurso muito importante na Igreja portuguesa” e também pela “forma discreta, mas muito eficiente, como contribuiu para o mérito da Igreja católica de Portugal na preparação da vinda para o nosso país da Jornada Mundial da Juventude de 2022″

O presidente da República referiu que D. Américo Aguiar está “muito próximo da juventude”, é “muito experiente” e tem uma “preparação intelectual” e “abertura à pastoral dos nossos dias”.

“Tenho a certeza que o novo bispo auxiliar de Lisboa é a pessoa adequada para esse desafio complexo”, sublinha Marcelo Rebelo de Sousa.

Para Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, a nomeação de D. Américo Aguiar “é o reconhecimento daquilo que tem feito ao longo destes muitos anos em várias áreas de intervenção cívica e religiosa em vários locais do país”.

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou à Renascença que a nomeação do novo bispo auxiliar de Lisboa é “uma notícia feliz” porque “vai trazer certamente um dinamismo e uma grande alegria no desempenho das suas funções, em particular, agora que Lisboa vai receber as Jornadas Mundiais da Juventude”.

“Vai ser um enorme gosto poder trabalhar com ele nos próximos anos, na concretização das Jornadas e que elas sejam em Lisboa as melhores e as maiores que já aconteceram”, disse o presidente da autarquia.

Fernando Medina considera que D. Américo Aguiar “tem-se afirmado como um dos padres mais importantes, mais relevantes na Igreja Católica Portuguesa e marca uma transição geracional”.

A Renascença ouviu também Artur Santos Silva, gestor, que destacou o papel de D. Américo Aguiar na “requalificação e o restauro da Igreja e da Torre dos Clérigos”.

“Sempre o senti uma pessoa culta, empenhada, interessada e dando um apoio, na minha opinião, precioso ao sr. D. Manuel Clemente, enquanto Bispo do Porto, e mais tarde a D. António Francisco. Estou certo que hoje, com a ação que ele também desenvolveu à frente da Rádio Renascença, eu antecipava que estaria para breve este passo da sua nomeação como Bispo”, afirmou Artur Santos Silva.

Para Luís Valente de Oliveira “estava escrito que ia acontecer mais tarde ou mais”.

“Eu estava à espera disso há muito tempo. Eu fico muito satisfeito. O senhor padre Américo Aguiar é uma alta personalidade, muito capaz, muito sensível aos problemas da sociedade, envolvendo-se muito com aquilo que o rodeia, sempre generoso, sempre atento ao que se vai passando e com uma energia e capacidade que é invulgar”, disse o antigo ministro do Planeamento à Renascença.

Valente de Oliveira considera que D. Américo Aguiar tem “uma capacidade de iniciativa enorme” e “uma reflexão serena e atenta”.

PR

Partilhar:
Share