D. José Ornelas destaca percurso «muito fecundo» de serviço de D. Anacleto Oliveira, bispo de Viana do Castelo

D. Anacleto Oliveira (E) e D. José Ornelas (D) Foto: Agência Ecclesia/MC

 

Setúbal, 18 set 2020 (Ecclesia) – O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) lamentou hoje o falecimento de D. Anacleto Oliveira, na sequência de um acidente de viação, falando na perda de “um grande bispo e um grande amigo”.

D. José Ornelas disse à Agência ECCLESIA ter ficado em “choque” com a notícia inesperada, um sentimento que diz ser partilhado pela Igreja Católica em Portugal.

“Fica-nos uma memória amiga, de uma mente aberta, esclarecida, acerca da Igreja, que nos animou durante tanto tempo e que, por isso mesmo, nos dá o conforto de dizer que ele, junto de Deus, há de continuar a acompanhar-nos”, assinalou.

D. Anacleto Oliveira faleceu hoje aos 74 anos de idade, na sequência de um despiste de automóvel, na Autoestrada 2 (A2) perto de Almodôvar, que ocorreu ao fim da manhã; o bispo era o único ocupante da viatura.

O presidente da CEP fala numa memória “muito grata”, destacando o “trabalho muito fecundo na diocese e na Igreja portuguesa” do falecido bispo.

“Vivemos com fé, não livres do luto que isto significa, mas com a esperança que nós temos, aquela que D. Anacleto sempre viveu e que agora chegou à sua plenitude”, acrescenta o bispo de Setúbal.

Quero manifestar à família e à Igreja de Viana do Castelo, a que ele presidia, as nossas condolências e a solidariedade da Igreja portuguesa”.

D. José Ornelas recorda o trabalho de “muitos anos” do falecido bispo na nova tradução da Bíblia para português, a partir dos textos originais, que está em curso, além de “tantos outros trabalhos que ocuparam a sua vida”.

“Vamos sentir a sua falta e peço ao Senhor que o acolha, fazendo frutificar as tantas sementes de bem e de sensibilidade, de visão, que ele semeou na sua Igreja, para o bem de todos nós, nestes tempos difíceis que vivemos”, conclui.

Numa nota de imprensa enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese de Viana do Castelo comunica o falecimento “de forma inesperada” do seu bispo, convidando a uma “oração reforçada” e à “serenidade”.

“As circunstâncias excecionais que nos envolvem aconselham-nos, por isso, a uma oração reforçada, assim como à serenidade e tranquilidade próprias de quem coloca o seu coração no Senhor”, refere o texto.

PR/OC

Natural da diocese de Leiria-Fátima onde nasceu, na freguesia de Cortes, a 17 de julho de 1946. Frequentou o Seminário Diocesano de Leiria entre 1957 e 1969, tendo sido ordenado presbítero a 15 de agosto de 1970. De seguida, partiu para Roma onde fez a licenciatura em Teologia Dogmática na Universidade Gregoriana (1971), obtendo ainda, na mesma cidade, a licenciatura em Ciências Bíblicas no Instituto Bíblico de Roma (1974). De 1974 a 1977 foi professor de Exegese Bíblica no Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra, tendo, igualmente, neste último ano, obtido a licenciatura em História na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Posteriormente parte para a Alemanha para fazer o doutoramento em Exegese Bíblica na Faculdade de Teologia Católica da Universidade de Westfälischen Wilhelms-Universität de Münster (1987) que concretizou com a tese Die Diakonie der Gerechtigkeit und der Versöhnung in der Apologie des 2. Korintherbriefes. Analyse und Auslegung von 2. Kor 2,14-4,6; 5,11-6,10, 1990, Münster, Alemanha. Enquanto permanece em terras germânicas foi Capelão de Emigrantes Portugueses na Diocese de Münster. De regresso a Portugal, a partir de 1988, retoma a lecionação de Exegese Bíblica no Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra e, ao mesmo tempo, no Seminário Diocesano de Leiria, na Escola de Formação Teológica de Leigos de Leiria e na Faculdade de Teologia (Lisboa) da Universidade Católica Portuguesa. Assumiu, em 2001, a Presidência da Comissão Diretiva do Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra.

No domínio de outros serviços eclesiais D. Anacleto de Oliveira, foi secretário da Comissão Científica dos Congressos Internacionais de Fátima (1997, 2001 e 2003), membro do Conselho de Administração e de Gestão e Finanças do Santuário de Fátima, assistente Diocesano do Movimento de Educadores Católicos e membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores da Diocese de Leiria-Fátima.

Foi nomeado bispo titular de ‘Aquae Flaviae’ e auxiliar do Patriarcado de Lisboa a 4 de fevereiro de 2005; foi colaborador na Revista Theologische Revue, da Faculdade de Teologia da Universidade de Münster, liderou a equipa que preparou os Catecismos Nacionais – 3º e 4º Ano da Catequese Infantil; integrou a equipa que traduziu a Nova Bíblia dos Capuchinhos (1998); foi o responsável pelo itinerário catequético, proposto pela CEP para o Ano Paulino.

No presente momento era presidente da Comissão Episcopal para a Liturgia e coordenador da nova tradução da Bíblia da Conferência Episcopal Portuguesa. No passado dia 15 de agosto comemorou, em conjunto com a Diocese, os 50ª da sua ordenação sacerdotal.

Diocese de Viana do Castelo

 

Partilhar:
Share