«Cristãos não podem navegar no reino da indiferença» – D. José Traquina

Santarém, 23 nov 2019 (Ecclesia) – O bispo de Santarém, cidade que acolhe hoje o V Encontro Nacional de Leigos, espera que este evento ajude a promover a “sensibilização para o lugar dos cristãos na sociedade”.

“Os cristãos não podem navegar no reino da indiferença. Se são cristãos, interessam-se pela vida, interessam-se pela sua família, interessam-se pela sociedade em que estamos”, disse D. José Traquina à Agência ECCLESIA.

O presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana sublinha que os leigos são os cristãos “que estão na sociedade”, na família, nas empresas, na política, e devem “estar aí empenhadamente”.

O bispo de Santarém deixa votos de que o encontro deste sábado seja “marcante, como um momento de inspiração e de grande consciencialização daquilo que é a vontade de Deus”.

Desde outubro, em várias cidades da diocese, foram promovidos momentos de preparação, religiosos e culturais, que o responsável católico “muito interessantes”.

“Temos uma missão e é um momento para tomarmos consciência disso”, conclui D. José Traquina.

O V Encontro Nacional de Leigos – Praça Central tem como tema ‘Prometo viver a vida, em pleno e até ao fim’; a iniciativa é organizada pela CNAL – Conferência Nacional das Associações do Apostolado dos Leigos, que preparou diversos momentos com comunicações, testemunhos, conversas, workshops, bem como espaços de oração, visitas culturais e lúdicas.

Carlos Liz, consultor em estudos de opinião e de mercado, destacou na abertura dos trabalhos que esta denominação procura dar “mais amplitude” ao evento; Pedro Gil, do Opus Dei, sublinhou, por sua vez, a ideia de tornar “o encontro inclusivo”.

João Cordovil Cardoso, presidente do Conselho Nacional da CNAL, referiu à Agência ECCLESIA que a “missão local”, que antecedeu o encontro em Santarém, procurou “encaminhar todas as pessoas para a Praça Central”.

A iniciativa parte da exortação apostólica ‘Gaudete et Exsultate’, do Papa Francisco, apresentada pelo pontífice como um “apelo” renovado à santidade, proposta radical de vida.

“A santidade está à nossa porta e é para todos nós”, indica João Cordovil Cardoso.

Segundo o responsável, o programa procura “responder a todas as pessoas”, as mais teóricas e as mais práticas, enquadrando o tema desde o ponto de vista filosófico e académico, antes de passar a testemunhos de vida.

“A ideia da CNAL é promover a comunhão de todos os movimentos”, na Igreja Católica, acrescentou.

O presidente do Conselho Nacional da CNAL constata um aumento da consciência do “papel” dos leigos e da sua missão nas comunidades católicas.

“A enorme maioria da Igreja são os leigos, há coisas para as quais eles estão mais preparados”, declarou João Cordovil Cardoso.

LS/HM/OC

Igreja/Portugal: Núncio apostólico vai presidir a Missa do Encontro Nacional de Leigos

Partilhar:
Share