Sexta edição do «Clique ao Toque», em formato online, aborda respostas e desafios na relação com as novas gerações

Braga, 30 jan 2021 (Ecclesia) – A pandemia representou um “marco paradigmático” para a presença católica no mundo digital, estabelecendo um “antes e depois” do confinamento, defende uma investigação do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura (CECC) da Universidade Católica.

O trabalho foi apresentado hoje, durante a sexta edição da iniciativa ‘Do Clique ao Toque’, promovida online pela Faculdade de Teologia e o Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião, com o apoio do Secretariado Nacional da Educação Cristã.

Helena Cruz Ventura e Camila Arêas, investigadores do CECC, apresentaram aos participantes uma síntese dos resultados do ‘Mapeamento de Necessidade, Recursos Existentes e Boas Práticas na Pastoral para a Formação Espiritual de Jovens na Era Digital (Portugal e Espanha)’.

Segundo as especialistas, após o confinamento houve um aumento da produção de conteúdo específico para as redes e outras plataformas, com novos espaços de interação e novos conteúdos direcionados para os mais jovens.

Os dados mostram que 84% das organizações inquiridas desenvolveram novas iniciativas de evangelização dos jovens, no cenário da pandemia; 73% dos jovens aderiram a novas iniciativas de formação para a fé/espiritualidade.

A projeção é que essas iniciativas vão continuar “complementarmente” no pós-pandemia, com acento na “complementaridade online-offline”.

Na conferência “Do púlpito à mesa-redonda: mapa das práticas digitais católicas em tempo de pandemia”, foi destacado ainda o “interesse significativo” por parte dos adultos nas novas práticas online.

As investigadores identificaram como principais dificuldades manifestadas pelos inquiridos a “falta de recursos humanos, técnicos e financeiros”, além da “ausência de uma estratégia de comunicação digital unificada”.

Uma das propostas centrais das instituições envolvidas no estudo foi a criação de um “observatório” para as boas práticas no campo da “evangelização digital”, onde se verifica uma “enorme diversidade e criatividade”.

A sexta edição da iniciativa ‘Do Clique ao Toque’ tem como tema ‘O diálogo entre a vida e a fé nos dispositivos digitais’, sendo coordenada pelo padre Luís M. Figueiredo Rodrigues e Sónia Catarina da Silva Cruz (Faculdade de Teologia).

O encontro tem uma sessão este sábado e outra agendada para 20 de fevereiro, entre as 09h30 e as 18h00.

Na primeira conferência do dia, José Pereira Coutinho, do Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião – Universidade Católica Portuguesa, falou sobre os ‘Jovens e Religião em Portugal’.

“A modernidade atual influencia todos os aspetos socioculturais, incluindo a religião”, destacou o investigador, que falou em “múltiplas modernidades”.

As novas gerações são “mais urbanas, mais digitais, mais dependentes dos pais”, com menor prática religiosa e adesão aos valores religiosos.

O convidado questionou se a pandemia obrigou a redesenhar a importância do digital.

“A busca constante de novidade é contrária à religiosidade”, observou José Pereira Coutinho.

OC

Partilhar:
Share