Intenção da Rede Mundial de Oração do Papa para o mês de outubro é dedicada à escuta e ao processo sinodal

Cidade do Vaticano, 03 out 2022 (Ecclesia) – O Papa Francisco pediu hoje uma “Igreja aberta a todos”, que seja lugar de “solidariedade, fraternidade e acolhimento”, e que viva a sinodalidade e a proximidade.

“Aproveitemos esta oportunidade para sermos uma Igreja de proximidade, que é o estilo de Deus, a proximidade. E agradeçamos a todo o povo de Deus que, com sua escuta atenta, está percorrendo um caminho sinodal”, afirmou Francisco no vídeo do mês de outubro onde formula intenções de oração.

Referindo-se ao processo sinodal, a que deu início em outubro de 2021, e entra em breve na segunda fase do processo – dedicado à escuta continental – o Papa esclareceu a capacidade de escuta que caminho tem realizado.

“O sínodo não é uma pesquisa; trata-se de ouvir o protagonista, que é o Espírito Santo, trata-se de oração. Sem oração, não haverá Sínodo”, sublinhou.

No vídeo, que tem por título «Por um Igreja aberta a todos», Francisco afirmou que uma Igreja sinodal é uma “Igreja que escuta” e que sabe que “escutar é mais importante do que ouvir”, lembrando ainda que o processo não implica “uma recolha de opiniões” ou um estilo “parlamentar”.

“O que significa «fazer um sínodo»? Significa caminhar juntos: sínodo. Em grego é isto: «caminhar juntos» e caminhar na mesma direção. E isso é o que Deus espera da Igreja do terceiro milénio. Que recupere a consciência de que é um povo em caminhada e que deve fazer isso unido”, lembrou.

O Papa lembrou a importância de escutar a “diversidade” e de “abrir as portas aos que estão fora da Igreja”.

“Rezemos para que a Igreja, fiel ao Evangelho e corajosa no seu anúncio, viva cada vez mais a sinodalidade e seja um lugar de solidariedade, fraternidade e acolhimento”, pediu.

O ‘Vídeo do Papa’ é uma iniciativa oficial de alcance global que tem como objetivo difundir as intenções de oração mensais de Francisco, desenvolvida pela Rede Mundial de Oração do Papa (Apostolado da Oração), confiada à Companhia de Jesus (Jesuítas); o projeto conta com o apoio do ‘Vatican Media’.

CB/LS

Partilhar:
Share