Cidade do Vaticano, 03 nov 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco destacou o trabalho educativo da Fundação Pontifícia ‘Scholas Occurrentes’ que gerou “melhorias substanciais” no estado de espírito de milhares de jovens de mais de 15 países, durante a pandemia, segundo um comité científico interuniversitário.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, a fundação informa que as suas atividades gratuitas chegaram a “mais de 2000 estudantes”.

O Papa Francisco agradeceu aos jovens formadores da Scholas Occurrentes “por terem aberto, no meio do confinamento e da morte que esta pandemia deixou, um espaço de encontro com a vida”, numa audiência aos dois diretores mundiais da fundação.

José María del Corral e Enrique Palmeyro partilharam com o Papa os resultados analisados por um comité científico interuniversitário com base num estudo exploratório descritivo longitudinal sobre a avaliação do estado de espírito dos próprios alunos antes e depois de cada aula virtual organizada pela Fundação Scholas Occurrentes.

O sentimento de solidão de jovens dos mais de 15 países participantes das atividades virtuais da fundação pontifícia diminuiu 44,60%, enquanto o nervosismo ou inquietação 46,07% e a intensidade de tristeza 69,09%, emoções negativas que têm “um impacto claro na saúde dos jovens e daqueles que os rodeiam”.

“Pareciam fortes contra a Covid, mas este outro aspeto fundamental era desconhecido, já que houve quem confessasse que queria acabar com a própria vida ou estava a viver em situação extrema de risco”, acrescenta o comunicado, adiantando que foi possível “alertar os profissionais e pais ou responsáveis sobre as suas circunstâncias”.

Os dois diretores mundiais da Fundação Scholas Occurrentes destacaram também o aumento na autoperceção da intensidade da esperança, atingindo 43,04%; na atitude pró-social, 53,35%; e na alegria, 68,46%, informações que foram partilhadas com o Dicastério para o Desenvolvimento Humano e com a Congregação para a Educação Católica da Santa Sé.

José María del Corral e Enrique Palmeyro contextualizaram que desde o início da pandemia professores de escolas italianas preocupados com “o estado de espírito de alguns alunos e pela falta de resposta ao trabalho escolar” contactaram a equipa da Scholas Occurrentes e começaram encontros virtuais que tiveram um “efeito surpreendente na saúde emocional dos jovens”.

Segundo o comunicado, para além dos alunos italianos juntaram-se de forma gratuita na mesma aula virtual alunos de Espanha, Portugal, França, Roménia e Emirados Árabes Unidos. Também da Polónia, Rússia, Moldávia, Argentina, Paraguai, Chile, Colômbia, Panamá, Japão, entre outros.

A ‘Scholas Occurrentes’ é uma Organização Internacional de Direito Pontifício que foi aprovada pelo Papa a 13 de agosto de 2013; está presente em 190 países nos cinco continentes e integra meio milhão de redes educativas.

Em Portugal, a Fundação Scholas Occurrentes tem sede em Cascais, na antiga escola Conde Ferreira, no centro histórico.

Arte, desporto e tecnologia são os pilares do programa educativo da Fundação ‘Scholas Occurrentes’ que utiliza a educação para promover mudanças sociais e nasceu em Buenos Aires, há cerca de 20 anos, por vontade do então arcebispo dessa cidade argentina, D. Jorge Mario Bergoglio, hoje Papa Francisco.

CB/OC

Partilhar:
Share