«Gostaríamos de fazer do ciclo um festival de cinema» – Padre Pedro Quintela

Almada, 15 dez 2018 (Ecclesia) – O NUCA – Novos Universitários Católicos e a Paróquia de Nossa Senhora do Monte de Caparica, da Diocese de Setúbal, estão a dinamizar o ciclo de cinema «RevelAr-Te», centrado no tema da ‘identidade’, no Fórum Municipal Romeu Correia em Almada.

“Discutir a identidade não é cerrar fileiras, é perceber quem é que está a falar com quem e foi essa a ideia que presidiu este ano ao ciclo”, disse o padre Pedro Quintela em declarações à Agência ECCLESIA.

O sacerdote explicou que, para os promotores do ‘RevelAr-Te’, no atual momento da história do mundo e “dos fluxos da política, da cultura”, o tema da identidade é “relevante” e na cidade como Almada “os cristãos são uma minoria”, os que têm vida de Igreja, “de militância cristã são 5%”.

“50% dos participantes são pessoas sem vida cristã e torna-se muito relevante este espaço de encontro”, destacou o pároco do Monte de Caparica.

O Ciclo de Cinema Católico mostra hoje o filme ‘O insulto’, do cineasta Ziad Doueiri (2017), que vai apresentado por Maria da Madre Deus Pacheco de Amorim, mestre em Teoria da Literatura, a partir das 21h30, com entrada livre.

“Um interessantíssimo filme contemporâneo sobre o encontro de identidades no Líbano. O mundo muçulmano e o mundo cristão, a maneira como se pode na identidade recíproca avançar, construir a identidade”, realçou o padre Pedro Quintela.

O ‘RevelAr-Te’ 2018 vai terminar este domingo, dia 16 de dezembro, com “um clássico sobre a maneira como a dádiva de vida dá identidade à cidade”: ‘Roma, cidade aberta’ (1945), de Roberto Rossellini, e o comentário introdutório pertence a Rui Santos, produtor cinematográfico.

Na sua 9.ª edição, o padre Pedro Quintela considera o Ciclo de Cinema Católico de Almada uma iniciativa “absolutamente extraordinária”, que “é feita “por amadores”.

“É extraordinário o diálogo entre a sala mais importante da cultura de Almada, que pertence à câmara municipal, e uma resposta claramente nascida da Igreja. Há um momento em que a cidade se abre aos cristãos, os cristãos estão na cidade e é o mais bonito”, desenvolveu.

Para o futuro os promotores do ‘RevelAr-Te’ querem mais e gostariam “de fazer do ciclo um festival” que é algo “mais complexo, pede filmes que sejam estreados, concursos”.

“Há pessoas que têm estado a trabalhar nesse sentido para conseguirmos ter meios e recursos para avançar para um festival de cinema”, acrescentou o padre Pedro Quintela, em declarações após a exibição do primeiro filme ‘RevelAr-Te’2018, o documentário ‘The hidden rebellion’, de 2016.

No dia seguinte foi apresentado ‘Fantasy’, de 1940 realizado por Walt Disney, e esta sexta-feira foi visto ‘8 ½’, do realizador italiano Federico Fellini, de 1963.

Ao longo dos anos o Ciclo de Cinema Católico de Almada tem apresentado desde filmes clássicos a mais recentes e ainda novidades nacionais, sem esquecer a lista de 45 filmes que o Vaticano selecionou nos 100 anos do cinema, em 1995.

As sessões, organizadas pelo NUCA e a Paróquia sadina de Nossa Senhora do Monte de Caparica, começam às 21h30, com entrada livre, no Fórum Municipal Romeu Correia.

CB

 

Partilhar:
Share