Cónego Hélder Fonseca Mendes presidiu à celebração do Dia Diocesano da Família

Foto: Igreja Açores

Vila Franca do Campo, Açores, 16 mai 2022 (Ecclesia) – O administrador diocesano de Angra afirmou que a comunidade cristã “não se faz separando as pessoas, mas unindo-as numa família”, falando este domingo, na homilia da Missa do Dia Diocesano da Família, em Vila Franca do Campo.

“A comunidade cristã não se faz separando as pessoas por seleções ou elites, mas unindo-as numa família que vive e caminha junta na diferença de idades e de ciclos de vida”, disse o cónego Hélder Fonseca Mendes, citado pelo portal diocesano ‘Igreja Açores’.

O administrador diocesano de Angra assinalou que o cuidado e o amor são duas das características fundamentais do discipulado cristão que se traduzem no serviço ao próximo e tem a sua expressão máxima na família.

“Os poderosos deste mundo exercem domínio sobre os outros, sobre a sua liberdade, ofendendo a dignidade de outro humano. Entre nós, os discípulos de Jesus, não deve ser assim”, acrescentou o responsável católico, na igreja de São Miguel Arcanjo, em Vila Franca do Campo, ilha de São Miguel.

No I Dia Diocesano da Família, organizado pelo Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar e Laicado de Angra, 18 casais celebraram os jubileus matrimoniais de 10, 25 e 30 anos e renovaram as promessas matrimoniais.

Este encontro também se realizou no contexto do encerramento da ‘Semana da Vida’, que a Igreja Católica em Portugal viveu com o lema ‘A vida que acolhemos’, inspirado na parábola do Bom Samaritano.

O cónego Hélder Fonseca Mendes destacou que a família como “o lugar que acolhe e abriga todos”, onde o “amor é total”, e porque “vem de Deus” não há lugar para a “vingança, ressentimento e ódio”, mesmo “diante da traição ou da infidelidade”.

“Sempre que cuidamos das crianças, dos alunos, da catequese, das vocações, dos jovens, da preparação para o matrimónio, de enamorados, pais e mães, avós e irmãos, pobres, trabalhadores, idosos, viúvas, reformados, doentes, ou em estado de luto, estamos a falar de pastoral familiar”, desenvolveu, na homilia que terminou com a oração para o X Encontro Mundial das Famílias, que se realiza em junho, em Roma.

O responsável católico recordou que I Dia Diocesano da Família de Angra foi “sonhado em 2020 e adiado para 2021” por causa da pandemia Covid-19, e concretizou-se este domingo, a 15 de maio de 2022.

O assistente diocesano da pastoral da família e laicado destacou o sentido intergeracional deste encontro, que “foi um abraço para todo o mundo”.

“Que este dia seja um reforço da pastoral da família em todo o Portugal e em todos os Açores”, referiu monsenhor José Constância.

O portal ‘Igreja Açores’ informa que durante a Eucaristia foram lembradas as famílias de todas as ilhas do Arquipélago dos Açores, e nove casais depositaram no altar um ramo de flores pelos casais de cada uma das nove ilhas.

Para além da Eucaristia, o primeiro Dia Diocesano da Família contou também com reflexões orientados por assistentes locais da pastoral familiar e especialistas na área da família – crianças na Igreja; Jovens rumo à JMJ de Lisboa; desafios sociais -, convívio e uma feira de artesanato, no Pavilhão Açor Arena, em Vila Franca do Campo.

CB/OC

Partilhar:
Share