D. Nuno Brás presidiu à Celebração da Paixão na sé diocesana

Foto Jornal da Madeira

Funchal, 02 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal afirmou na homilia da Celebração da Paixão que o “acontecimento histórico” da morte de Jesus na Cruz é portador “de sentido e de vida”.

D. Nuno Brás disse que o importante não são “as discussões sobre onde se situava o lugar em que o Senhor foi crucificado”, lugar do Calvário que em hebraico se diz Gólgota, mas “o seu significado salutar”.

“Importa-nos perceber como, na nossa vida cristã, nos devemos confrontar com a cruz salvadora, e como podemos deixar que aquele acontecimento histórico e as narrações que no-lo fazem conhecido sejam portadores de sentido e de vida para a nossa existência e para a existência do mundo”, afirmou.

“O que nos importa é deixar que Deus faça Páscoa connosco e passe pela nossa vida”, referiu.

D. Nuno Brás lembrou que, “na cruz do Gólgota, os cristãos encontraram desde sempre o rosto de Deus” onde, “por entre o feio do pecado, resplandece de beleza”.

“Desapareceu, é certo, o bonito dos padrões da moda, mas aparece toda a beleza do amor — do amor com que Deus vem ao nosso encontro (ao encontro de cada um de nós), nos atrai e nos mostra que nele — e apenas nele ! — podemos entregar confiadamente toda a nossa existência, tudo o somos e temos”, afirmou.

A Celebração da Paixão é a cerimónia que marca a Sexta-feira da Semana Santa, um dia em que não é celebrada Missa, mas realiza-se a adoração da Cruz.

PR

Homilia do bispo do Funchal na Celebração da Paixão

Partilhar:
Share