D. Manuel Felício pede que a pandemia represente um ponto de viragem

Guarda, 18 mai 2020 (Ecclesia) – O bispo da Guarda associou-se este domingo à ‘Semana Laudato Si’, convocada pelo Papa para uma consciencialização ecológica, sublinhando a “responsabilidade coletiva” na defesa do ambiente e da vida.

D. Manuel Felício destacou a importância da iniciativa que decorre até 24 de maio, em todo o mundo, num momento de mudança provocado pela propagação do novo coronavírus.

“Saibamos aproveitar a situação especial da pandemia, que em muitos dos seus aspetos está para durar, e ofereçamos o nosso contributo de reflexão e ação, por humilde que seja, para colocar em agenda o empenho de preparar o mundo novo que todos desejamos”, disse o responsável católico, numa homilia enviada hoje à Agência ECCLESIA.

A intervenção sublinha que a necessidade de assumir que o mundo não tem “recursos inesgotáveis”, promovendo a “conversão ecológica” defendida pelo Papa.

“Para darmos passos nesta conversão, sem a qual não teremos futuro, é preciso ter a coragem de renunciar a certas mentalidades e hábitos instalados e, em contrapartida, subordinar os desejos e o prazer imediato dos indivíduos ao bem comum de todos os cidadãos, os atuais e os que estão para vir”, observa D. Manuel Felício.

É preciso abandonar a atitude orgulhosa muito comum de quem se sente senhor de tudo e substituí-la pela consciência clara de que não somos donos de nada, mas somente administradores de algumas coisas pertencentes à casa comum”.

O bispo da Guarda fez ainda referência à conclusão da Semana da Vida, celebrada em Portugal, que este ano nos chamou a atenção para as situações de “fragilidade”.

“Todos nascemos frágeis e dependentes; nascemos crianças que precisam como ninguém do aconchego do Pai e da Mãe e da restante família para se defenderem dos perigos e crescerem equilibradamente. O mesmo se diga do final da vida, onde as dependências crescem e pedem esmerada atenção dos acompanhantes e cuidadores” declarou.

D. Manuel Felício destacou que situações como a atual pandemia “evidenciam a mesma fragilidade”, realçando a necessidade de “cuidar bem uns dos outros e com prioridade sempre para quem mais precisa ou sofre”.

OC

Ecologia/Igreja: Portugal associa-se a Semana «Laudato Si» convocada pelo Papa

Partilhar:
Share