D. Nuno Brás deu graças a Deus por instituições e voluntários que trabalham «em favor dos mais desfavorecidos»

Foto Duarte Gomes/Jornal da Madeira

Funchal, Madeira, 15 nov 2021 (Ecclesia) – O bispo do Funchal disse que os cristãos são convidados a “partilhar a vida dos pobres”, na Eucaristia que assinalou o V Dia Mundial dos Pobres, este domingo, na igreja do Colégio.

“Diante do pobre que é Jesus, qual é pois a nossa atitude? A de quem oferece uma esmola ou a de quem deseja, efetivamente, partilhar da sua existência?”, perguntou D. Nuno Brás, numa intervenção divulgada pelo ‘Jornal da Madeira’.

A Igreja Católica celebrou este domingo o V Dia Mundial dos Pobres, e o bispo do Funchal, na sua homilia, citou a mensagem do Papa Francisco para dizer que “Jesus é o pobre que representa, que reúne e resume em si a vida, a existência de todos os pobres”.

“O Papa recorda o gesto de uma mulher que, no Evangelho de São Marcos, irrompe numa refeição para ungir com perfume precioso os pés de Jesus”, contextualizou D. Nuno Brás.

Neste contexto, explicou que a atitude da mulher originou duas reações, uma dos discípulos, que entendem que «teria sido melhor vender o perfume e dar o dinheiro aos pobres», e outra de Jesus que lembra que «sempre tereis pobres entre vós».

O bispo do Funchal assinalou que os cristãos são convidados a “partilhar a vida dos pobres” e é esse o convite que o Papa Francisco também faz.

A Eucaristia que assinalou o V Dia Mundial dos Pobres na Diocese do Funchal foi promovida pelo Secretariado Diocesano da Ação Social e pela Cáritas do Funchal.

D. Nuno Brás deu graças a Deus por “tantas instituições e por tantos voluntários” que na ilha e na cidade do Funchal “trabalham, como voluntários em favor dos mais desfavorecidos”, informa o Jornal da Madeira.

A celebração terminou com a apresentação da operação de Natal solidária ‘10 Milhões de Estrelas – Um gesto pela paz’, que é dinamizada a nível nacional pela Cáritas Portuguesa, e com o acender de velas na Praça do Município.

CB/OC

 

Partilhar:
Share