Jornalista é crítica do regime de Duterte

Lisboa, 15 fev 2019 (Ecclesia) – A Associação de Imprensa de Inspiração Cristã (AIC) e a Associação Portuguesa de Imprensa (API) condenaram, em comunicado conjunto, a detenção da jornalista Maria Ressa, que aconteceu esta quarta-feira, nas Filipinas.

“A AIC e a API manifestam o seu repúdio pela detenção de Maria Ressa, considerando tratar-se de um atentado ao exercício do jornalismo que deve merecer a condenação de quantos prezam a liberdade de imprensa e de expressão”, assinala a nota enviada à Agência ECCLESIA.

Ressa foi considerada uma das “personalidades do ano” pela revista norte-americana Time em 2018 e é uma crítica do regime do presidente Rodrigo Duterte.

A jornalista foi detida sob a acusação de “difamação cibernética”, quando trabalhava na redação do portal de notícias Rappler, de que é diretora; antes, tinha sido acusada de fuga ao fisco, mas rejeitara as acusações, afirmando que se tratava de uma perseguição política.

A AIC e a API recordam que Maria Ressa é “uma das mais prestigiadas jornalistas a nível mundial, sobretudo pela coragem e desassombro com quem vem denunciando as políticas radicais da administração do presidente Duterte”.

A jornalista foi distinguida pela WAN-IFRA com o galardão “Pena de Ouro”, que recebeu durante o Congresso Mundial daquela Associação (de que a API faz parte), que decorreu no Centro de Congressos do Estoril.

OC

Partilhar:
Share