Movimento promoveu acampamento nacional

Lisboa, 02 ago 2019 (Ecclesia) – O Movimento de Apostolado de Adolescentes e Crianças (MAAC) em Portugal dinamizou o seu terceiro acampamento nacional, com 126 pessoas, de 27 a 31 de julho, com o lema ‘Viver a Alegria na Diversidade e União’, na Palhaça (Oliveira do Bairro).

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o MAAC informa que participaram neste encontro crianças, adolescentes, acompanhantes e voluntários das Dioceses de Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Santarém, Lisboa, Setúbal e Angra.

“Este acampamento foi divertido, possibilitou-nos aprender, conhecer pessoas novas e compreender que todos somos diferentes e brincarmos com muita alegria e tornando-nos mais unidos”, explica o movimento.

O terceiro acampamento nacional teve sete “objetivos principais”, como “aprender a respeitar a individualidade e a diferença de cada um”, “criar novos amigos, conhecimentos”, “redescobrir o valor da entreajuda e do respeito” ou ligar-se “a Jesus sem telemóvel”.

Ao longo dos cinco dias, os 126 participantes abordaram o lema ‘Viver a Alegria na Diversidade e União’ através do método de Revisão de Vida – Ver, Julgar e Agir.

A primeira etapa, acrescenta o comunicado, foi importante porque permitiu conhecerem-se “melhor, nomeadamente as diferenças”; na etapa do julgar fizeram “um jogo de pistas” onde aprenderam “a não gozar as pessoas e a respeitar os outros”.

Na terceira etapa, cada um assumiu “uma atitude nova” que deve “aceitar as diferenças como coisa boa e com alegria, serem tolerantes.

No programa, para além da oração e da Missa dominical, o acampamento proporcionou diversas oficinas: gastronomia, carpintaria, música, jornalismo, costura, dança, teatro, artes e desporto.

O Movimento Nacional de Apostolado de Adolescentes e Crianças existe em Portugal desde 1982, como movimento de crianças independente de outros movimentos da Ação Católica, e tem por objetivo fundamental “consciencializar os adolescentes e crianças para assumirem o seu papel de agentes ativos na evangelização dos seus companheiros e do seu próprio meio”.

CB/OC

Partilhar:
Share