Fátima, 07 jul 2020 (Ecclesia) – O Santuário de Fátima informa que lançou uma réplica da escultura de São Francisco Marto, “em tamanho e custos acessíveis”, um produto oficial que está disponível a partir de hoje nas suas lojas oficiais e online.

“A sua criação passa pela dignificação da representação escultórica dos Santos Pastorinhos de Fátima, aproximando e difundindo o seu carisma, junto de cada peregrino que visita o santuário, e possibilitando, por outro lado, que a sua representação escultórica o possa acompanhar em casa, prolongando, desta forma, a experiência de fé que viveu no santuário”, informa uma nota enviada hoje à Agência ECCLESIA.

O Santuário de Fátima explica que a nova peça “com 17,5cm e um peso de 45gr” é “fiel à escultura oficial de São Francisco Marto”, da autoria da escultora Sílvia Patrício.

A réplica da escultura de São Francisco Marto é um produto oficial do Santuário de Fátima que está disponível a partir de hoje nas suas lojas oficiais e online e vai ficar “disponível em todo o mercado numa fase posterior”, numa “preocupação na dignificação da atividade económica” em torno do fenómeno de Fátima.

Segundo o santuário mariano, a nova peça resulta de uma parceria entre o santuário mariano e a Farup, empresa de artigos religiosos da região, desenvolvida com a assessoria artística da autora e outras empresas de Ourém, Leiria e Marinha Grande.

A réplica da escultura de São Francisco Marto é idêntica à de Santa Jacinta Marto que foi lançada a 20 de fevereiro, no dia em que se assinalou o centenário do falecimento da mais jovem vidente de Fátima.

 

São Francisco Marto, cuja iconografia o apresenta de carapuço na cabeça e jaleca curta, com o cajado e o saco do farnel ao pescoço, nasceu em 11 de junho de 1908 e foi batizado em 20 de junho na Igreja Paroquial de Fátima.

O santuário lembra que com apenas 8 anos de idade, começou, com a sua irmã Jacinta, a pastorear o rebanho dos seus pais pela zona da Cova da Iria, local onde, juntamente com a prima Lúcia, viriam a testemunhar as Aparições, durante as quais podia apenas ver, sem ouvir ou falar.

A 18 de outubro de 1918, pouco mais de um ano depois da última Aparição, Francisco adoece, vítima da epidemia da gripe pneumónica, também conhecida por gripe espanhola; A 2 de abril do ano seguinte, confessa-se e recebe a comunhão pela última vez; Foi sepultado no cemitério de Fátima, de onde os seus restos mortais foram exumados, em 17 de fevereiro de 1952, e trasladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em 13 de março de 1952.

Francisco e a irmã Jacinta foram canonizados no Santuário de Fátima, a 13 de maio de 2017, durante a Missa da primeira Peregrinação Internacional Aniversária do Centenário das Aparições, presidida pelo Papa Francisco, tornando-se assim nos mais jovens santos não-mártires da história da Igreja Católica.

CB

 

Partilhar:
Share