Fátima, 23 abr 2022 (Ecclesia) – A Congregação das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora de Fátima vai realizar a 17.ª Jornada de Espiritualidade Reparadora este sábado, a partir das 10h00, na Casa de Nossa Senhora das Dores, no Santuário de Fátima.

Num comunicado enviado à Agência ECCLESIA, as religiosas informam que a jornada visa colocar em vidência a “espiritualidade reparadora como carisma da congregação”, que procura viver o Evangelho da misericórdia e da compaixão e “oferecer todos os seus atos para consolar a Deus e reparar o mal que se faz no mundo”.

A 17.ª Jornada de Espiritualidade Reparadora começa com a saudação da superiora-geral da congregação, a irmã Ana Paula Teixeira, sendo apresentado depois o tema ‘Manuel Nunes Formigão e a espiritualidade de Fátima’, por Marco Daniel Duarte, diretor do Serviço de Estudos do Santuário de Fátima.

‘Tenho muita pena de Nossa Senhora’ é o tema da conferência do padre João Paulo Quelhas, capelão do santuário mariano, que onde vai abordar as novas perspetivas da espiritualidade de Santa Jacinta Marto.

A partir das 15h00, o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, vai apresentar o livro ‘Maria Santíssima na vida do Padre Formigão’, de monsenhor Arnaldo Pinto Cardoso, postulador da causa de canonização do padre Formigão, com seleção e recolha de textos pela irmã Gertrudes Ferreira, publicado pela Paulus Editora.

A jornada de Espiritualidade Reparadora inclui também o momento cultural ‘Sonetos a Maria – Poesia do Venerável Formigão’, pelo Conservatório de Música e Artes do Centro, e encerra com a Eucaristia, a partir das 16h30.

As Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora de Fátima foram fundadas em 1926, pelo padre Manuel Nunes Formigão, que foi declarado venerável pelo Papa Francisco, a 14 de abril de 2018.

Em Portugal estão presentes em Fátima, Famalicão, Porto, São Martinho do Campo, e têm missões em Lichinga (Moçambique), Benguela (Angola), e Maliana (Timor-Leste).

CB

Partilhar:
Share