«Eu estou contigo todos os dias» é o mote para celebração instituída pelo Papa

Cidade do Vaticano, 20 abr 2021 (Ecclesia) – O Vaticano revelou hoje o tema para o I Dia Mundial dos Avós, que a Igreja Católica vai celebrar a 25 de julho, destacando a importância da proximidade.

“O tema escolhido pelo Santo Padre para a ocasião é ‘Eu estou contigo todos os dias’ (cf. Mt 28,20) e tem por objetivo expressar a proximidade do Senhor e da Igreja à vida de cada idoso, especialmente neste momento difícil de pandemia”, refere um comunicado do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida (Santa Sé).

Segundo a nota, enviada à Agência ECCLESIA, esta celebração “é uma promessa de proximidade e de esperança que jovens e idosos possam entender-se mutuamente”.

“Nãoo são só os netos e os jovens que são chamados a estar presentes na vida dos idosos, mas os avós e as pessoas idosas também têm uma missão evangelizadora, uma missão de anunciar, de rezar e de gerar jovens para a fé”, acrescenta o comunicado.

Para fomentar a celebração desse dia nas igrejas locais e nas realidades associativas, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida vai propor, a partir de junho, algumas ferramentas pastorais que estarão disponíveis no site www.amorislaetitia.va

O Papa anunciou a 31 de janeiro instituição do “Dia Mundial dos Avós e dos Idosos”, que se vai assinalar no quarto domingo de julho, junto à celebração litúrgica de São Joaquim e Santa Ana (26 de julho).

“Os avós, tantas vezes, são esquecidos e esquecemos esta riqueza de cuidar das raízes e transmiti-las”, referiu Francisco, no final da recitação do ângelus, com transmissão desde a biblioteca do Palácio Apostólico do Vaticano.

A intervenção sublinhou a importância do encontro entre gerações, para a Igreja e para a sociedade.

“É importante que os avós se encontrem com os netos e os netos com os avós, porque como diz o profeta Joel, os avós, diante dos nossos, sonharão, terão ilusão; e os jovens, encontrando força nos avós, seguirão em frente e hão de profetizar”, declarou o Papa.

Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, o cardeal Farrell, prefeito do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, salienta que “este é o primeiro fruto do ‘Ano da Família Amoris Laetitia’, um dom a toda a Igreja que se vai manter ao longo dos anos”.

“A pastoral dos idosos é uma prioridade inadiável para todas as comunidades cristãs. Na encíclica Fratelli tutti, o Santo Padre nos lembra que ninguém é salvo sozinho. Nesta perspetiva, é necessário valorizar a riqueza espiritual e humana que foi passada de geração em geração”, acrescenta o responsável.

Por ocasião da I Jornada Mundial dos Avós e dos Idosos, o Papa vai presidir à Missa vespertina do domingo, 25 de julho, na Basílica de São Pedro.

A nota evoca o I Congresso Internacional para a Pastoral dos Idosos, que o Papa encerrou a 31 de janeiro de 2020, na presença de delegações de dezenas de países, incluindo Portugal.

“A desorientação social e, em muitos aspetos, a indiferença e a rejeição que as nossas sociedades manifestam em relação aos idosos chamam não apenas a Igreja, mas todos, a uma reflexão séria para aprender a compreender e apreciar o valor da velhice”, referiu Francisco.

O discurso convidou a superar uma visão economicista, assumindo o património de “valores e significados” da “terceira e quarta idade”.

OC

Partilhar:
Share