Universidade Católica acolhe simpósio internacional para a promoção da «aprendizagem-serviço»

 

Lisboa, 28 out 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco e António Guterres desafiaram hoje o mundo académico a ser parte da solução, perante crises globais que ameaçam a humanidade, em mensagens enviadas ao simpósio para a promoção da “aprendizagem-serviço” que decorre na Universidade Católica Portuguesa.

Num texto enviado aos participantes, através do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, Francisco deixa votos de que as instituições educativas da Igreja Católica “fortaleçam a sua identidade e missão”, com “projetos de saída, que não fiquem meramente pela parte académica, mas formem a cabeça, o coração e as mãos” para a “solidariedade e a fraternidade”.

A Universidade Católica Portuguesa (UCP) organiza entre hoje e amanhã, em parceria com a UNISERVITATE, o II Simpósio UNISERVITATE “Aprendizagem-Serviço, Educação Integral e Espiritualidade Transformadora”, coordenado pela CLAYSS (Centro Latino Americano de Aprendizagem Serviço Solidário).

O Papa defende que, no pós-pandemia, as universidades devem promover uma “cultura do diálogo” para responder aos “anseios profundos” da sociedade, superando o individualismo e o sectarismo.

Já o secretário-geral da ONU, António Guterres, destacou o “papel central das universidades” na transformação da sociedade e na resposta a crises como a pandemia, as alterações climáticas, a violência ou a desinformação.

“Agora, mais do que nunca, precisamos de superar as divisões, reduzir o sofrimento humano, restaurar a confiança e inspirar esperança. A educação de qualidade está no centro da resposta a estes desafios”, indicou o responsável português.

As mensagens foram lidas aos participantes durante a sessão inaugural do evento, com transmissão online.

D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, abriu os trabalhos, pedindo “um ensino ligado à sociedade e às suas necessidades, tanto nacional como internacionalmente”.

O magno chanceler da UCP aludiu à “complexidade e interligação” dos temas de que as universidades tratam – o clima, os refugiados, o trabalho, os direitos fundamentais ou a capacitação de organizações internacionais, entre outros – os quais exigem uma maior ligação entre o ensino e a sociedade.

“Estudar significa aprender a servir”, apontou.

D. José Ornelas, bispo de Setúbal e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, saudou os participantes e realçou o papel das universidades para a promoção do “diálogo cultural” no mundo atual.

Foto: UCP

A reitor da UCP, Isabel Capeloa Gil, sustentou na sua intervenção que “a educação é fundamental para a construção de um futuro sustentável e resiliente”.

A responsável desafiou o mundo académico a ser capaz de “encontrar uma proposta de valor” que antecipe as grandes mudanças e “não deixe ninguém para trás”.

A coordenadora do ‘Programa Uniservitate’, María Rosa Tapia, referiu por sua vez que o projeto visa “provocar uma mudança sistémica” e dimensão do serviço, na educação formal e informal das novas gerações.

O simpósio reúne representantes de instituições de ensino superior de todo o mundo, com múltiplas atividades em formato virtual.

A iniciativa tem a colaboração da Federação Internacional de Universidades Católicas (FIUC) em adesão ao Pacto Educativo Global, lançado pelo Papa Francisco, em outubro de 2020.

OC

Educação: Papa lança «pacto global» com sete compromissos por um mundo diferente (c/vídeo)

Partilhar:
Share