Fátima acolhe V Jornada Pedagógica das Escolas Católicas

Foto: Agência ECCLESIA/LFS

Fátima, 01 Jul 2022 (Ecclesia) – Ilídia Cabral, professora da Faculdade de Educação e Psicologia, da Universidade Católica Portuguesa, disse hoje que, em Portugal, a avaliação se centra no lado sumativo e “menospreza” o lado formativo.

“A nossa prática avaliativa ainda é demasiadamente diretiva e, mesmo o feedback que damos, centra-se mais na avaliação sumativa, menospreza quase a avaliação formativa que respeita o tempo de aprender dos alunos”, referiu a docente, na V Jornada Pedagógica da Associação Portuguesa de Escolas Católicas (APEC) que está a decorrer no Centro de Estudos de Fátima.

Na iniciativa da APEC, subordinada ao tema ‘Uma avaliação pedagógica ao serviço do desenvolvimento humano’, a professora da UCP acentuou que a “avaliação deve despertar o melhor de cada um” e sustentou “a necessidade de um novo olhar para a avaliação dos alunos nas escolas portuguesas”.

A professora da UCP sublinhou que “é fundamental repensar o modo como se avalia”, largando o paradigma “do princípio, meio e fim” e adotar-se uma forma “sistemática que ajude a aprender e a retirar o melhor de cada um”.

Foto: Agência ECCLESIA/LFS

Para a conferencista, a escola tem uma “missão singular no processo de desenvolvimento” dos alunos que abrange “o nível afetivo, cognitivo, valores pessoais e sociais e relacional”.

“Ser escola católica traz uma missão acrescida que tem a ver com a dimensão espiritual bem vincada e alicerçada”, salienta Ilídia Cabral.

Uma avaliação ao serviço do desenvolvimento “só pode ajudar a contribuir para o melhor de cada pessoa”, mas para tal é necessário diluir a preocupação “com a classificação, hierarquização e seleção”, acrescentou.

A iniciativa da APEC é promovida em parceria com a Faculdade de Educação e Psicologia (FEP) da UCP, polo do Porto, e a colaboração do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC).

“Queremos, com esta ação formativa, ajudar a clarificar o sentido humanista da avaliação pedagógica, enumerando práticas de avaliação pedagógica promotoras de aprendizagem, e sistematizando princípios, técnicas e instrumentos de avaliação ao serviço do desenvolvimento humano”, refere a organização.

LFS/OC

Partilhar:
Share