Papa Francisco destacou batismo comum em Cristo e explicou que «quem oferece hospitalidade não se torna mais pobre»

Foto: Vatican News

 

Lisboa, 17 jan 2020 (Ecclesia) – O Papa Francisco recebeu hoje em audiência uma delegação da Igreja Luterana da Finlândia e afirmou que “como cristãos batizados” acreditam que Cristo quer que se encontrem nas “pessoas que naufragaram na vida, literal e figurativamente”.

“Quem oferece hospitalidade não se torna mais pobre, mas mais rico. Quem dá, por sua vez, recebe. A humanidade que mostramos aos outros torna-nos misteriosamente participantes da bondade de Deus feita homem”, disse o Papa no seu discurso, publicado na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Francisco recebeu uma delegação da Igreja Luterana da Finlândia que peregrina a Roma pela festa de Santo Henrique, o patrono do país nórdico, e na véspera do início do Oitavário pela Unidade dos Cristãos explicou que como “cristãos batizados” acreditam que Cristo quer se encontrem “precisamente naquelas pessoas que naufragaram na vida, literal e figurativamente”.

“A hospitalidade também faz parte do testemunho comum da fé na vida quotidiana. A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que começa amanhã, mostra-nos esta virtude ecuménica e, acima de tudo, recomenda-a”, explicou.

A partir deste sábado, de 18 a 25 de janeiro, os cristãos do hemisfério norte vão rezar juntos, este ano, a partir da passagem dos Atos dos Apóstolos e o Papa contextualizou que se refere aos habitantes da ilha de Malta que “acolheram o apóstolo Paulo de uma maneira hospitaleira, juntamente com centenas de náufragos”.

Francisco realçou que a comunidade de todos os batizados “não é um mero ‘estar próximo’, e certamente não é um ‘ser um contra o outro’, mas quer tornar-se um ‘estar junto’ cada vez mais profundo”.

Foto: Vatican News

“Queridos amigos finlandeses, como mensageiros da humanidade, como recetores da bondade do Deus encarnado, estamos a caminhar juntos na comunidade de todos os batizados. Cristãos”, referiu.

Neste contexto, recordou que no domingo dia 12, celebrou-se o batismo de Jesus e sublinhou que o cristão “é uma pessoa que pode agradecer” pelo seu batismo e “essa gratidão une na comunidade de todos os batizados”.

Francisco terminou o seu discurso salientando que o ecumenismo espiritual e o diálogo ecuménico “servem para aprofundar essa ‘união’” e espera que esse “‘estar juntos’ continue a crescer, desenvolver e dar frutos na Finlândia”.

A tradição do encontro anual entre o Papa e a delegação ecuménica finlandesa foi instaurada há mais de 25 anos, durante o pontificado de São João Paulo II.

CB

 

Ecumenismo: Semana de Oração vai evocar mortes no Mediterrâneo

Partilhar:
Share