Liga Operária Católica, Comissão Nacional Justiça e Paz, Juventude Operária Católica e Cáritas Portuguesa associam-se a jornada internacional pelo Trabalho Digno

Lisboa, 07 out 2014 (Ecclesia) – A Liga Operária Católica e a sua congénere espanhola associaram-se à Jornada Mundial pelo Trabalho Digno, celebrada anualmente a 7 de outubro, propondo transformações na forma de “entender e organizar o trabalho humano”.

“Estamos imersos numa realidade que sofreu e está a sofrer profundas transformações em todos os âmbitos da vida das pessoas. A forma como hoje se organiza o trabalho não é compatível com a vida digna à qual fomos chamados”, explica o comunicado enviado à Agência ECCLESIA.

A Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC) e a Hermandad Obrera Accion Católica (HOAC) acrescentam que “ter trabalho, ter salários suficientes para poder viver, realizar o trabalho em condições dignas” são situações que possibilitam “o crescimento e a construção da pessoa”.

Nesse sentido, assinalam na Europa o desemprego, “também dos jovens”, que alcança níveis “alarmantes em muitos países do sul” ou a perda dos direitos laborais.

A nível mundial exemplificam que “mais de duzentos milhões de mulheres e homens estão desempregados” ou “quase mil milhões” trabalham mas vivem abaixo do “limiar da pobreza de 2 dólares por dia”.

Por isso, a LOC/MTC e a HOAC convidam todas as pessoas a celebrar a Jornada Mundial pelo Trabalho Digno, a 7 de outubro, “refletindo” sobre o mundo laboral e a “descobrir e denunciar as causas” que originam o sofrimento dos trabalhadores, das famílias e dos povos.

“Como Igreja não podemos permanecer calados e passivos enquanto as condições sociais dificultem o ser humano de viver tranquilamente a sua dignidade de filhos de Deus”, realçam.

O comunicado é ainda subscrito por outros movimentos e organizações em Portugal e em Espanha, como a Comissão Nacional Justiça e Paz, Juventude Operária Católica, a Cáritas Portuguesa e a Juventud Obrera Cristiana de Espanha.

Os subscritores do comunicado destacam a ação da Igreja através da sua Doutrina Social que “apela e promove” ao trabalho digno, na qual o Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos faz a sua “reivindicação” como combate ao “desemprego, a subocupação e a precariedade laboral”.

No comunicado assinalam também que a Organização Internacional do Trabalho, desde 1999, “debate-se” por conseguir um trabalho digno que combata o “empobrecimento” e seja fator de uma “sociedade digna, mais justa e humana”.

A Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos e a Hermandad Obrera Accion Católica destacam as palavras do Papa Francisco que “atingem maior significado e são um apelo a toda a Igreja e a toda a sociedade”, como a defesa da dignidade dos trabalhadores, no encontro com os dirigentes e operários das fábricas de aço de Terni, 20 de março de 2014, ou em defesa de uma nova economia mais humana, no encontro com os trabalhadores e estudantes em Molise, Itália, a 5 de julho de 2014.

CB/OC

Partilhar:
Share