Foto Vatican Media

Lisboa, 06 Abr 2020 (ECCLESIA) – O presidente da Cáritas Internacional, cardeal Luis Antonio Tagle, refere numa mensagem pascal que a pandemia de Covid-19 “está a tornar ainda mais profundo o sofrimento das pessoas vulneráveis”, como migrantes e refugiados, idosos, doentes, pobres e desempregados.

Numa mensagem pascal, o cardeal Luis Antonio Tagle fala num mundo “unido com medo do que o amanhã trará, sem saber como vão as sociedades suportar o impacto devastador da pandemia de coronavírus”.

O responsável católico pede aos governos que garantam “o acesso a cuidados de saúde e proteção social para todos – especialmente os mais vulneráveis”.

A mensagem, divulgada pela Cáritas Portuguesa, destaca que dianta “da perda, incerteza e sofrimento, algo incrível está a acontecer”, o mundo está a entender “os laços que formam a família humana”, algo que anteriormente se tinha “como garantidos ou ignorados”.

Apesar da realidade pandémica, o mundo assiste a mudanças que “seriam impensáveis há três meses”: “a qualidade do ar melhorou em vários países e as partes em guerra entraram em cessar-fogo”.

“Isso pode ser temporário, mas lembra-nos que os problemas humanos, aparentemente irresolúveis, não são eternos”, aponta o cardeal Luis Antonio Tagle.

A Cáritas enfrenta esta “emergência global como uma confederação” e “trabalha em unidade, partilhando experiências com outros países e oferecendo ajuda mútua”.

“Temos um tempo de desaceleração, onde podemos refletir profundamente sobre o que Corpo de Cristo significa para cada um de nós”, conclui o presidente da Cáritas Internacional.

OC

Partilhar:
Share