Francisco homenageou padres e médicos que morreram a ajudar os outros

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 03 mai 2020 (Ecclesia) – O Papa recordou hoje no Vaticano os doentes de Covid-19 e pediu um esforço internacional para encontrar vacina e tratamentos que ajudem a travar a pandemia.

“Mais uma vez, gostaria de exprimir a minha proximidade com os doentes de Covid-19, aos que se dedicam ao seu cuidado e a todos os que, de alguma forma, estão a sofrer com a pandemia”, disse, após a recitação da oração do ‘Regina Caeli’, à porta fechada e com transmissão online.

Francisco destacou em particular a necessidade de “colaboração internacional”, para responder “de forma adequada e eficaz à grave crise que estamos a viver”.

“É importante, de facto, que se coloque ao dispor de todos a capacidade científica, de modo transparente e desinteressado, para encontrar vacinas e tratamentos, garantindo o acesso universal às tecnologias essenciais que permitam a cada pessoa contagiada, em qualquer parte do mundo, receber os cuidados sanitários de que necessita”, apontou.

Horas antes, na Missa a que presidiu no Vaticano, o Papa recordou “muitos pastores no mundo que dão a vida pelos fiéis”, assinalando o dia do Bom Pastor, que a Igreja Católica celebra no quarto domingo da Páscoa celebra o, Jesus Bom Pastor.

Segundo Francisco, só na Itália morreram mais de 100 padres, durante a pandemia de Covid-19.

Penso também nos outros pastores que cuidam do bem das pessoas, os médicos. Fala-se dos médicos, daquilo que fazem, devemos considerar que, apenas na Itália, 154 médicos morreram em serviço. Que o exemplo destes pastores padres e pastores médicos nos ajude a cuidar do santo povo fiel de Deus”.

O Papa destacou a iniciativa proposta pelo Alto Comité para a Fraternidade Humana, que a 14 de maio vai promover uma jornada de oração e jejum, “para implorar a Deus que ajude a humanidade a superar a pandemia do coronavírus”.

“A oração é um valor universal”, referiu, ao anunciar a sua adesão a esta iniciativa.

“Lembrem-se: a 14 de maio, todos os crentes, juntos, crentes de várias tradições, para rezar, rezar e fazer obras de caridade”, realçou.

Durante a oração do ‘Regina Caeli’, na biblioteca do Palácio Apostólico, o Papa associou-se ao dia pelas crianças que são vítimas da violência, na Itália, promovida pela associação ‘Meter’, apelando a “ações de prevenção e sensibilização das consciências”.

“Agradeço às crianças da associação, que me enviaram uma colagem com centenas de margarida, pintadas por eles”, acrescentou.

No início do mês de maio, Francisco recordou a tradição de visitar os santuários dedicados à Virgem Maria.

“Este ano, por causa da situação sanitária, vamos deslocar-nos espiritualmente a estes lugares de fé e de devoção, para colocar no coração da Virgem Santa as nossas preocupações, expectativas e projetos de futuro”, apelou.

O Papa despediu-se com os tradicionais votos de “bom domingo” e “bom almoço”, pedindo orações por si.

OC

Partilhar:
Share