Acantonamento Nacional vai acontecer a partir de cada casa, com marcas de solidariedade no 97.º aniversário do CNE

Lisboa, 22 mai 2020 (Ecclesia) – O chefe nacional do Corpo Nacional de Escutas (CNE), Ivo Faria, disse hoje à Agência ECCLESIA que o Acantonac, a partir da casa de cada um, até domingo, é uma marca no 97.º aniversário do CNE e uma “prenda para a sociedade”.

“No nosso aniversário este ano não queremos receber prenda, este ano queremos que os escuteiros deem uma prenda gigante do CNE à sociedade que está em dificuldades e hoje começamos uma campanha diferente para o Banco Alimentar”, explicou o responsável

Ivo Faria adiantou ainda que o CNE prepara uma nova campanha em parceria com a Cáritas Portuguesa, “Dar sem medida”, e que este Acantonac tem uma insígnia, que a sua compra reverte para a Cáritas, para que fique esta marca da “felicidade de sermos capazes de nos dar aos outros”.

Ao longo de todo o tempo de confinamento o CNE tem lançado vários desafios online, com grande adesão e “marcar a data de aniversário era algo que se impunha”, dado ter sido cancelada a ação prevista para o Porto.

Fomos desafiados a celebrar esse mesmo aniversário e que permitisse juntar os escuteiros, lançámos o desafio de nos ajudarem a construir este Acantonac, desde o imaginário, as ações e o programa, foi tudo ideia deles, recebemos mais de 600 contributos”. 

O chefe nacional revela ainda que este não vai ser “só um Acantonac mas um Jamboree”, dada a presença de escuteiros do Brasil e do Luxemburgo, emigrantes portugueses, que “mostraram interesse e vão fazer este acantonamento nacional” e o grande desafio é que “todos se mantenham conectados”. 

A atividade foi desenhada a pensar nas bases do escutismo, que os escuteiros devem ser “úteis, alegres e saudáveis (helpful, happy, healthy)”; tem início esta sexta-feira, pelas 21h00, com uma abertura e momento musical, onde “vai ser lançado um CD com músicas escutistas”.

O dia de sábado é dedicado a workshops de várias áreas e os mais velhos “desafiados à ação para o Banco Alimentar”, sendo a noite destinada para o “momento especial que é o fogo de conselho”, altura chave para “ouvir os conselhos dos mais velhos” e para a qual a equipa nacional “tem preparadas suRpresas”.

Este fogo de conselho vai ter a particularidade de viver a partir de casa mas vamos dizer aos escuteiros para juntar os seus grupos, bandos e patrulhas locais, cada um a partir de sua casa e com as suas famílias”. 

Ivo Faria mostrou ainda à Agência ECCLESIA o local onde vai, com o seu filho, viver este Acantonac, “a tenda que ainda tinha um bocadinho de areia do último acampamento”.

Este Acantonamento Nacional termina no domingo, com a “desmontagem das tendas e a Eucaristia”, e pode ser acompanhado pelas plataformas oficias do CNE, Facebook e Youtube.

O chefe nacional partilhou ainda que foi emitido já um “documento para ajudar a preparar o desconfinamento” aguardando que a “meados de junho” seja possível pequenos encontros de escuteiros, preferencialmente ao ar livre.  

SN

Partilhar:
Share