Medidas para o pós-confinamento mantêm alertas para a necessidade de distanciamento e medidas de higiene

Lisboa, 30 abr 2020 (Ecclesia) – Os bispos católicos da Espanha e Itália publicaram indicações para o regresso às celebrações comunitárias, no início de maio, após o período de confinamento determinado pelas autoridades, para travar a propagação do novo coronavírus.

A Conferência Episcopal Espanhola (CEE) anuncia, em comunicado, a implementação de novas medidas de distanciamento e de higiene para as igrejas, a partir de 11 maio, prevendo que as celebrações decorram, inicialmente, com um terço da sua capacidade.

Numa segunda fase, a partir de 25 de maio, poderão alargar a sua capacidade até 50%, “respeitando as distâncias de segurança”.

Os bispos prolongam a dispensa do preceito dominical e convidam os idosos, doentes e pessoas em risco a avaliar a possibilidade de “não sair das suas casas”, acompanhando as celebrações através dos meios de comunicação.

A CEE determina ainda que, onde for necessário, se aumente o número de celebrações, para evitar aglomeração de pessoas, e recomenda o uso de máscaras, de forma generalizada.

As portas das igrejas estarão abertas e um grupo de pessoas será responsável pela distribuição da assembleia, organizando a entrada, o percurso para a Comunhão e a saída dos fiéis, aos quais será oferecido gel desinfetante.

As celebrações de exéquias vão seguir os mesmos critérios da Missa dominical.

“Após esse período de dor e sofrimento devido à morte de entes queridos e a graves problemas de saúde, sociais, económicos e laborais, temos de enfrentar esta situação com esperança, fomentando a comunhão e sentindo-nos chamados a exercer a caridade pessoal, política e social”, refere a CEE.

Já na Itália, a partir de 4 de maio é possível celebrar funerais, estando em elaboração um protocolo para as Missas com assembleia.

A Conferência Episcopal Italiana sugere que antes da Missa seja controlada a temperatura corporal e impedida a participação de pessoas com mais de 37,5º.

Quanto à Comunhão nas exéquias com Missa, os bispos determinam que seja o celebrante a deslocar-se até ao lugar de cada fiel, para evitar concentração de pessoas.

A nota realça ainda a importância da limpeza e desinfeção dos espaços nas igrejas.

OC

Partilhar:
Share