«Olhai para a humanidade desamparada», pediu D. Nuno Brás

Funchal, Madeira, 20 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo do Funchal consagrou a diocese e a humanidade à proteção da Virgem Maria, esta quinta-feira, durante a recitação do Rosário a que presidiu na igreja de Nossa Senhora do Monte, com transmissão online.

“Aqui, ajoelhados aos vossos pés, estão os cristãos desta vossa diocese, que vos falam pela voz deste seu Bispo, e se querem, uma vez mais, confiar aos vossos cuidados e ao vosso zelo de mãe”, disse D. Nuno Brás, na oração de consagração.

A Nossa Senhora do Monte, o bispo do Funchal pediu que olhe “pela ilha”, pelos “seus habitantes que são discípulos amados do Filho” e “pelas suas famílias e pelos seus governantes”.

“Senhora, com o mundo inteiro, estamos a viver esta hora de aflição, este momento que causa a morte de tantos, que nos obriga a ficarmos isolados uns dos outros, que nos impede de nos saudarmos, que nos impede de trabalhar, que nos impede de partilhar, que nos impede de celebrar a Eucaristia e de rezarmos em conjunto; que nos quer impedir de viver como homens e como cristãos”, contextualizou D. Nuno Brás na oração onde pediu à padroeira da Madeira para olhar para “a humanidade desamparada”, para os doentes e para os profissionais de saúde que deles cuidam

Antes da consagração, o bispo do Funchal presidiu à oração do Terço e em cada mistério fez uma pequena reflexão tendo começado por pedir “por todos os madeirenses”, para que saibam ser “a presença de Jesus”.

No segundo mistério, explicou que estavam na igreja de Nossa Senhora do Monte para “recordar à Virgem Maria aquilo que falta” e a situação que se encontra a sociedade.

“Queremos pedir-lhe que nos ajude a assumir as atitudes necessárias para a poder ultrapassar. Pedimos, em particular, pelas nossas famílias”, acrescentou.

Na oração do Terço também foram lembrados os profissionais de saúde, para que tenham “a força e a fé” que “impedem de desanimar perante as adversidades e ajudam a dar testemunho de Jesus Salvador”.

No início da oração, D. Nuno Brás contextualizou que o Papa Francisco ao convocar esta iniciativa mundial pediu a “Maria, saúde dos enfermos” que guarde, “de modo especial, os doentes e as pessoas que estão a cuidar deles: os médicos, os enfermeiros, os voluntários”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, provocando cerca de 9800 mortes.

A Itália é o país em que se registam, até ao momento, um maior número de vítimas mortais, com 3405 mortos em 41 035 casos.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde elevou na quinta-feira o número de casos confirmados de infeção para 785; o país encontra-se em estado de emergência até 2 de abril.

CB/OC

Partilhar:
Share