D. José Traquina presidiu à Missa que assinalou encerramento da Semana Cáritas

Torres Novas, 15 mar 2020 (Ecclesia) – O bispo de Santarém presidiu hoje na igreja de São Pedro de Torres Novas à Missa que assinalou o encerramento da Semana Cáritas, sublinhando que a atual pandemia do Covid-19 apela à responsabilidade e solidariedade de todos.

Foto: Arlindo Homem

“A preocupação em que nos encontramos une-nos no dever de evitar a propagação do coronavírus. Esta situação, pela negativa, leva-nos ao recolhimento e à valorização da vida, ao interesse pelos nossos semelhantes e a vencer a indiferença, num sentimento de comunhão”, indicou D. José Traquina, presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

Numa celebração transmitida através da televisão, o responsável católico apelou à “responsabilidade na defesa do valor maior, que é a vida humana”.

“Devemos estar unidos nos procedimentos corretos que nos são indicados”, acrescentou, dois dias depois de a Conferência Episcopal Portuguesa ter determinado a suspensão das celebrações comunitárias das Missas.

A suspensão das celebrações comunitárias das Eucaristias é uma determinação que se deve aceitar, não como um sinal de falta de fé, mas como uma obediência crente”.

O presidente da Comissão Episcopal responsável pela Pastoral Social defendeu a necessidade de evitar que haja focos de propagação do “descontrolado vírus”, num sinal de “solidariedade e defesa do bem comum”.

D. José Traquina deixou uma palavra de gratidão aos “médicos, enfermeiros, auxiliares e outros cuidadores e prestadores de serviços”.

Eugénio Fonseca, presidente da Cáritas Portuguesa, saudou no início da celebração todos os que se sentem “mais isolados, em consequência da grave pandemia” que assola o país.

O responsável destacou o trabalho de atendimento social a mais de 100 mil pessoas carenciadas, em Portugal, ao longo de 2019, bem como às vítimas do ciclone Idai, que há um ano atingiu Moçambique.

Cáritas é Amor’ é o lema da semanal anual da Cáritas Portuguesa que a instituição vive desde o último domingo.

“A Cáritas não pretende aumentar o número de pessoas dependentes, pretende ser um testemunho, a ajudar e também a interpretar e propor medidas de justiça social, de acordo com a Doutrina Social da Igreja”, disse D. José Traquina.

No final da Missa, o bispo de Santarém sugeriu aos cristãos que “aproveitem as muitas sugestões que estão a surgir na Igreja, pelas redes sociais, pelos sites”, em particular propostas de oração em família.

O presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca, é hoje o convidado do programa ‘70×7’, a partir das 18h05, na RTP 2.

OC

Partilhar:
Share