D. Francisco Senra Coelho escreveu mensagem para o Dia Mundial dos Pobres

Foto: Lusa

Évora, 13 nov 2020 (Ecclesia) – O arcebispo de Évora escreveu uma mensagem para o Dia Mundial dos Pobres, que a Igreja Católica celebra este domingo, sublinhando que o cenário de pandemia deve levar a “identificar situações de carência, indo além do puro assistencialismo”.

“De facto, o cenário de pandemia que nos assola, constituindo uma ameaça inesperada para a nossa vida, deve fazer-nos olhar com especial atenção e cuidado para quem está ao nosso lado, impelir-nos a identificar situações de carência, indo além do puro assistencialismo, e motivar-nos a ser um “coração que vê”, que se entrega e implica na resolução dos problemas de quem menos pode ou tem”, escreveu D. Francisco José Senra Coelho, num texto enviado à Agência ECCLESIA.

O responsável católico sustenta que “importa incentivar um reforço da unidade entre os vários agentes da Pastoral Social da Arquidiocese”, a fim de se “prover uma estruturação concreta de respostas com dimensão local para os vários problemas sociais”.

No documento, dirigido aos párocos e membros dos Serviços Paroquiais de Ação Social, D. Francisco Senra Coelho confia à Cáritas Arquidiocesana de Évora a tarefa de, em articulação com os párocos e com os demais agentes da Pastoral Social, garantir que “em cada paróquia exista um Serviço Paroquial de Ação Social (Grupo Cáritas)”.

Os Grupos Cáritas promovem junto das comunidades “um atendimento social de capilar proximidade fundamentado numa consciência esclarecida dos problemas de modo a suscitar atuações adequadas”, sublinha a nota.

Os Serviços Paroquiais de Ação Social participam ativamente em processos de desenvolvimento local que “se desencadeiem no espaço conjunto de autarquias, instituições de solidariedade social, estabelecimentos de ensino aos diferentes níveis e outras forças vivas presentes no terreno”, escreveu o arcebispo.

LFS/OC

Partilhar:
Share