A fragilidade da vida necessita “desta atualização” permanente, referiu o Bispo de Santarém

Foto: Diocese de Santarém

Santarém, 03 jun 2021 (Ecclesia) – O Bispo de Santarém, D. José Traquina, disse na homilia da Solenidade do Corpo de Deus que nesta festa se celebra “a beleza da Eucaristia” e que a “fragilidade da vida necessita desta atualização” permanente.

“Precisamos constantemente de sentir o perdão de Deus e o perdão de quem vive connosco porque fragilmente nos ofendemos”, realçou na homilia o Bispo de Santarém.

A Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo começou a ser celebrada há mais de sete séculos, em 1246, na cidade de Liège, na atual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula ‘Transiturus’, em 1264, dotando-a de missa e ofício próprios.

Na origem, a solenidade constituía uma resposta a heresias que colocavam em causa a presença real de Cristo na Eucaristia, tendo-se afirmado também como o coroamento de um movimento de devoção ao Santíssimo Sacramento; terá chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de Festa de Corpo de Deus.

LFS

Partilhar:
Share