Sacerdotes reconhecem que não basta saber a linguagem é preciso conhecer a cultura digital

Lisboa, 06 mai 2020 (Ecclesia) – O período de confinamento por causa da Covid-19 tem multiplicado as transmissões religiosas e a presença católica em plataformas digitais, cujo conhecimento é muito mais do técnico, sublinham os convidados da edição de hoje das “Conversas na ECCLESIA”.

O padre Amaro Gonçalo, da Diocese do Porto, reconhece que o isolamento tem despertado o interesse e acelerado a formação dos agentes de pastoral nestas matérias.

O pároco da Senhora da Hora admite que, de futuro, parte das reuniões da paróquia poderão recorrer a estes meios.

“Talvez pudéssemos facilitar um pouco a vida às pessoas por esta via, sem negar a necessidade do tátil e do contacto humano”, reconhece.

Em Portugal há experiências, já mais amadurecidas, como o ‘Laboratório da Fé’, que nasceu do Ano da Fé (2012-1013), convocado pelo Papa Bento XVI.

O padre Marcelino Ferreira desenvolve conteúdos, que querem chegar mais longe e comunicar a fé além dos muros da paróquia.

“Eu sei dizer como não se faz, mas tenho que aprender a fazer melhor, a linguagem tem de ser oportuna no ambiente digital” reconhece o sacerdote da Arquidiocese de Braga.

Os intervenientes neste “Conversas na ECCLESIA” sublinham a necessidade de entender que comunicar a fé não é simplesmente mudar de plataforma, mantendo a o tipo de mensagem.

“Se estamos num meio digital, as linguagens têm de ser diferentes”, alerta o padre Amaro Gonçalo.

“Não podemos continuar a usar o mesmo eclesialês  liturgês, teologuês…”, acrescenta o pároco da Senhora da Hora, para quem não basta dominar a linguagem dos meios, mas importa conhecer a sua cultura.

O contacto com a cultura digital e as normas estéticas da comunicação com imagem são, no entender do padre Marcelino Ferreira, uma aprendizagem útil que cada sacerdote deve aproveitar na sua comunidade.

“Conversas na Ecclesia” é um apontamento que, de segunda a sexta procura partilhar conteúdos relacionados com os jovens, atualidade sobre o que se passa no Vaticano, abordagens culturais, comunicar a fé no ambiente digital ou os principais temas sociais.

HM/OC

Partilhar:
Share