D. Virgílio Antunes pediu aos diocesanos para, durante o ano pastoral 2020/2021, fazer em conjunto a avaliação dos últimos três e programar o próximo triénio

Coimbra, 02 set 2020 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra pediu à diocese para, durante 2020/2021, avaliar os três últimos anos e fazer a construção do Plano Pastoral para o triénio 2021-2024, dedicado aos jovens e numa “onda de entusiasmo”.

“Precisamos de uma onda de entusiasmo que envolva as comunidades e que envolva os jovens, a fim de quebrarmos um certo comodismo instalado. Contamos com a colaboração e a criatividade de todos”, escreve D .Virgílio Antunes numa Nota Pastoral para o ano 2020/21.

O bispo de Coimbra lembra que a decisão de dedicar o próximo triénio ao tema dos jovens é uma decisão que “tem vindo a ser amadurecida há vários anos nas várias instâncias da Diocese”, porque “da sua fé e do seu dinamismo evangelizador depende o presente da Igreja”, e convoca todos para a elaboração do plano que vai orientar atividades e projetos entre os anos 2021 e 2024.

“Acreditamos na possibilidade de uma pastoral dos jovens mais atual e adequada à situação que vivemos, contando com todas as dificuldades, mas acima de tudo com o dinamismo evangelizador da fé que professamos”, afirma

“A definição da pastoral dos jovens como a nossa prioridade diocesana constitui o ponto de partida para virarmos a página e passarmos das lamentações, muitas delas justas, para a paixão por Cristo, pela sua Igreja e pelos jovens que Ele ama e quer agregar ao seu Povo como irmãos e como amigos”.

D. Virgílio Antunes adianta que vai passar “pessoalmente” pelas várias regiões da Diocese de Coimbra, pelos dez arciprestados, para “um tempo de catequese, de oração e de diálogo” com os jovens.

No documento, o bispo de Coimbra afirma que os jovens “são uma força da sociedade e da Igreja” não valorizada adequadamente e que eles “têm muito para dar”.

“Precisamos de descobrir quais os caminhos a percorrer para que isso aconteça; precisamos de mudar de atitude na relação com os jovens e de os considerar protagonistas na ação eclesial, uma vez que são portadores de grandes capacidades e de uma grande vontade de mudar o mundo”, afirma.

  1. Virgílio Antunes lembra que a escolha do tema para o próximo Plano Pastoral decorre da realização do Sínodo dos Bispos sobre “Os Jovens, a Fé e o Discernimento Vocacional” e da realização da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa, no verão de 2023.

“Este acontecimento ímpar precisa de ser bem aproveitado para que dê um novo impulso à pastoral dos jovens na nossa Diocese de Coimbra”, sublinha.

O bispo de Coimbra recorda a formação já em curso com os adolescentes dos últimos anos da catequese, “tendo em conta que serão os jovens de amanhã e os primeiros protagonistas da Jornada Mundial da Juventude de 2023”.

“Neste ano pastoral estará também disponível um percurso formativo para os grupos de jovens das nossas comunidades, que constituirá a preparação remota para a Jornada Mundial, acrescenta.

“Convido os jovens a não ficarem à espera da iniciativa da Igreja, da sua comunidade ou dos outros, mas a porem-se eles mesmos a caminho e a serem protagonistas da busca dos caminhos do acolhimento e da comunicação da fé, como experiência pessoal”.

A partir do tema escolhido para o próximo Ano Pastoral “Aproximai-vos do Senhor”, da Carta de São Pedro, D. Virgílio Antunes desafia toda a diocese a participar na avaliação dos últimos três anos e na construção do Plano Pastoral para 2021-2024, referindo que a diocese assumiu “o dinamismo da sinodalidade como método e caminho” e “tem tradição” na procura de “formas de participação” de todos os diocesanos.

PR

Partilhar:
Share