Parceria com o Secretariado Nacional da Educação Cristã e o Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa é um convite à «criatividade»

Lisboa, 18 mar 2020 (Ecclesia) – O programa Ecclesia na RTP 2, emitido no espaço inter-religioso “A Fé dos Homens”, às 15h00, inicia hoje uma parceria com o Secretariado Nacional da Educação Cristã e o Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa para fazer chegar às famílias uma proposta catequética, enquadrada com as circunstâncias destes dias.

Para Purificação Guilherme, o apelo ao isolamento social provocado pela pandemia do Covid-19 pode ser entendido como um convite à “criatividade” e à “possibilidade de rever o estilo de vida”.

“Podemos mostrar que este mundo pode ser melhor estando ao serviço de todos”, disse a convidada do primeiro programa com uma proposta catequética para as próximas semanas, em cada quarta-feira.

Dirigindo-se às crianças, a catequista da Paróquia de Olivais Sul, em Lisboa, dá conta da importância dos afetos, não só nos que partilham a mesma casa, mas entre vizinhos, mesmo que desconhecidos.

“Neste momento um sorriso para o outro lado da janela; se estivermos com um ar carrancudo, não ajuda. Se recebermos um sorriso do lado de lá, podemos rezar por essa pessoa e acompanhá-la. Isto tanto serve para quem está do outro lado como os que estão em casa”, traduz.

A catequista do Patriarcado de Lisboa sugere também a possibilidade de “colocar uma frase por baixo da porta do vizinho ou uma oração que os mais pequenos podem fazer”, gerando um sentimento de cuidado mútuo.

É um serviço aos outros, não só com os bens mas com a caridade que os mais pequenos podem fazer. (Podemos) aproveitar para incutir, neste caminho, o olhar para o outro, estar ao serviço do outro”.

A proposta formulada parte da realidade apresentada em cada encontro de catequese: inicia-se com uma oração inicial, partilha da experiência humana, iluminação com a Palavra de Deus, formulação de compromisso e oração final.

“Queremos hoje olhar para a experiência humana do dia a dia, que acontece cada um. Hoje partimos do que partilhamos, enquadrados pelo Covid-19 e procuramos o enquadramento da mensagem bíblica”, explica.

Purificação Guilherme afirma que “enfrentar a pandemia reforça objetivos”, concretiza a “responsabilidade e liberdade de todos”.

“Uma imagem de um grupo refugiados num barco a chegar era a realidade que a comunicação social mais traduzia, com o coronavirus esta esqueceu-se; mas este é o barco onde hoje estamos. O nosso contributo pessoal vai ser determinante para o fim da viagem. Quanto mais nos unirmos e nos ajudarmos, melhor vai ser o resultado final”, traduz.

O isolamento social provocado pela pandemia do Covid-19 mostra a “debilidade e fragilidade humana” que a catequista da paróquia de Olivais Sul entende ser uma oportunidade de “comunhão”.

Purificação Guilherme afiram ainda que a catequese tem de ser fortalecida em ambiente familiar.

“Na catequese estamos uma hora com as crianças ou adolescentes, mas é essencial o testemunho que têm em casa. Os pais são os protagonistas na educação. É necessário testemunho para que haja coerência e as crianças não entrem em conflito”, finaliza.

PR/LS

Partilhar:
Share