Encerramento das fronteiras e interdição à aterragem de voos foi decretado esta quarta-feira por Umaro Sissoco Embaló, autoproclamado Presidente da Guiné-Bissau

Bissau, 18 mar 2020 (Ecclesia) – Os bispos da Guiné-Bissau anunciaram novas decisões “para colaborar na sensibilização e prevenção” do Covid-19, no seguimento do encerramento das fronteiras e interdição à aterragem de voos, anunciadas por Umaro Sissoco Embaló, autoproclamado Presidente da Guiné-Bissau.

“Nesta hora tão dramática para o mundo inteiro, pedimos orações para que o Senhor da Vida nos preserve desta doença. Ao mesmo tempo, exortamos a todos a seguirem as decisões desta carta, das autoridades sanitárias e entidades engajadas na defesa da saúde do nosso querido povo”, afirmam os bispos numa nota enviada à Agência ECCLESIA.

Os bispos decidiram a suspensão das aulas nas escolas que estão sob responsabilidade da Igreja católica, assim como a suspensão de “celebrações de missas, inclusive as de corpo presente, vias-sacras, catequeses, retiros, encontros de grupos e movimentos, ensaios de cantigas”.

“As celebrações dos sacramentos previstas para a Festa de Páscoa serão adiadas”, indica a missiva assinadas pelos bispos de Bissau e Bafatá, D. José Câmnate na Bissign e D. Pedro Carlos Zilli.

As celebrações dominicais são ser “transmitidas pela Radio Sol Mansi”, às 10h00 e as “sextas-feiras da Quaresma, às 17h30, a Via Sacra será emitida via rádio”, assim como “durante a semana programas de catequese e formação religiosa”.

As igrejas vão “permanecerão abertas” com a “possibilidade do sacramento da Confissão”, mas em cada uma haverá “baldes com água e lixívia à entrada”.

Os bispos pedem que as famílias se reúnam para “orações diárias”.

Apesar das limitações que o doloroso momento nos impõe, não percamos a esperança que se fundamenta na nossa fé em Cristo e no testemunho de muitos irmãos e irmãs que, pelo mundo, estão a enfrentar todos riscos para salvar vidas”.

Com vista à sensibilização da população os bispos pedem que se utilizem os rádios e as redes sociais para informar “sobre a gravidade da situação e os comportamentos a serem mudados para evitar a difusão do vírus”.

“Pede-se a cada paróquia e comunidade de entrar em contacto com os responsáveis destes meios para que haja a maior informação e sensibilização possíveis. A Rádio Sol Mansi será o Centro onde preparar spots e programas a serem divulgados”, explica.

Os bispos alertam para a necessidade de “formar o pessoal das estruturas diocesanas para colaborarem com a saúde pública na sensibilização e prevenção, ajudando os que beneficiam destes serviços, a assumirem atitudes positivas que evitem a propagação do vírus”.

A nota pede ainda que a Caritas e “os demais centros habilitados retomem a produção de lixívia”, permitindo o acesso à população “com um custo reduzido, a este produto fundamental para a prevenção desta doença”.

“Neste tempo de Quaresma, somos chamados à caridade mais intensa, encorajamos os padres, irmãs, famílias e jovens a se empenharem em favor dos mais carenciados. Ao pessoal da saúde, o nosso apoio, proximidade e oração”, sublinha a nota.

LS

Partilhar:
Share