Padre Marco Martinho afirma que saber acolher «é o grande compromisso» da Igreja

Foto: C. M. Madalena

Angra do Heroísmo, 29 jul 2021 (Ecclesia) – O padre Marco Martinho, ouvidor do Pico e pároco da Madalena, na Diocese de Angra, considerou um sinal de “esperança e responsabilidade” o crescimento populacional registado na paróquia, segundo os dados divulgados dos Censos 2021.

“Trata-se efetivamente de um sinal de esperança, sobretudo numa ilha que tem três concelhos, que é grande e tem pouca população”, assinalou o sacerdote, citado pelo portal ‘Igreja Açores’.

Os números dos censos 2021 indicam um crescimento populacional de 4,7%, passando de 6049 residentes para 6332, no Concelho da Madalena, na ilha do Pico, numa tendência inversa à registada no resto do arquipélago dos Açores.

“Vemos as pessoas de outros concelhos da ilha fixam-se na Madalena: Aqui há mais emprego – turismo, vinhas – mas também a proximidade ao Faial, nomeadamente para quem trabalha na ilha do lado é mais fácil fixar-se aqui”, explicou o sacerdote.

A Madalena foi também o município do país que registou o maior aumento do número de alojamentos destinados à habitação (13,5%).

Segundo o pároco da Madalena, esta informação representa para a Igreja uma “grande responsabilidade” e observa que o “acolhimento e a disponibilidade” para integrar todos os que vão residir na Madalena “é o grande desafio”.

“Temos de saber acolher; este é o nosso grande compromisso. Os tempos exigem que saibamos ler os sinais e contribuir para que todos tenham lugar na Madalena”, desenvolveu o padre Marco Martinho, sublinhando o “papel muito importante” da Igreja para todos caminharem “em conjunto”.

Nos outros dois concelhos do Pico registou-se um decréscimo da população – menos 7,8% nas Lajes e menos 4,9% em São Roque, uma global na ilha redução de 1,8%.

Segundo os dados preliminares dos Censos 2021, divulgados esta quarta-feira, os Açores tiveram uma quebra de população residente de 4,1%, desde 2011.

O sítio online ‘Igreja Açores’ informa que esta região foi a quarta de Portugal a perder mais população, depois do Alentejo (6,9%), da Madeira (6,2%) e da região Centro (4,3%).

A ilha do Pico está a preparar as festas do Senhor Bom Jesus Milagroso, que vai celebrar a 6 de agosto, com um novenário que começou esta terça-feira.

CB/OC

Partilhar:
Share