Papa convida católicos e ortodoxos a descobrir «alegria do perdão»

Sófia, 05 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco convidou hoje à superação das divisões “dolorosas” entre católicos e ortodoxos, desejando que todas as Igrejas cristãs possam encontrar a “alegria do perdão”.

O pontífice falava na capital da Bulgária, onde chegou esta manhã, num encontro com os membros do Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa local.

Perante o patriarca Neófito, metropolita de Sófia e líder dos ortodoxos búlgaros, o Papa sublinhou que as “feridas” que se abriram nas relações entre cristãos, ao longo da história, permanecem abertas, em muitas comunidades.

Se metermos juntos a mão nestas feridas, confessarmos que Jesus ressuscitou e O proclamarmos nosso Senhor e nosso Deus, se, no reconhecimento das nossas faltas, nos deixarmos imergir nas suas feridas de amor, talvez possamos reencontrar a alegria do perdão e antegozar o dia em que poderemos, com a ajuda de Deus, celebrar o mistério pascal no mesmo altar”.

A intervenção evocou a perseguição contra cristãos, em várias partes do mundo, falando num “ecumenismo de sangue”, que não distingue as pertenças a Igrejas diferentes.

“Quantos cristãos, neste país, sofreram tribulações pelo nome de Jesus, especialmente durante a perseguição do século passado! O ecumenismo do sangue! Eles espargiram um suave perfume na ‘Terra das Rosas’. Passaram através dos espinhos da provação para difundir a fragrância do Evangelho”, realçou, recordando o regime comunista do século XX.

Francisco falou na necessidade de ir ao encontro dos pobres e marginalizados, antes de sublinhar o “ecumenismo da Missão”, recordando os santos Cirilo e Metódio (séc. IX), que evangelizaram a Bulgária, padroeiros da Europa.

“Os santos irmãos, vindos da tradição grega e apóstolos dos povos eslavos, revelam como a Bulgária é um país-ponte”, concluiu.

OC

Partilhar:
Share