“Eu sou a Ressurreição e a Vida… Acreditas nisto?” foi o tema apresentado pelo bispo diocesano, D. José Cordeiro

Foto: Diocese de Bragança-Miranda

Bragança, 30 nov 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Bragança-Miranda assinalou este sábado a abertura do ano pastoral 2019/2020, com a presença do seu bispo, D. José Cordeiro, no Centro Cultural de Vila Flor.

Neste ano (2019/20), a diocese vai centrar-se na temática “Eu sou a ressurreição e a vida… Acreditas nisto?” do Evangelho de São João, realça uma nota enviada à Agência ECCLESIA.

“A Eucaristia, dom da caridade e mistério de vida eterna, encontra aqui a sua íntima  interligação, ou seja, o mandato litúrgico, o mandato missionário e o mandato da caridade completam-se harmonicamente. Palavra e Eucaristia impelem à missão e à caridade. A relação celebração-evangelização-vida é dinâmica e conciliatória”, afirmou o bispo diocesano.

D. José Cordeiro na sua nota de abertura do ano pastoral referiu que esta terceira e última etapa do projecto pastoral trienal, “Por Cristo, com Cristo e em Cristo”, é dedicada à Eucaristia com vista ao aprofundamento da comunhão e caridade.

“É verdade que a Igreja faz a Eucaristia e a Eucaristia faz a Igreja. Celebrar a Eucaristia é, com efeito, reconhecer a centralidade do Senhor quando parte e reparte o pão e para juntos fazermos o mesmo”, referiu.

Colocando a eucaristia como tema central da vida cristã, D. José Cordeiro desafiou os diocesanos a prolongá-la na vida e na adoração eucarística.

“Porque não promover em cada domingo a adoração eucarística comunitária nas nossas comunidades eclesiais? Porque não criar um lausperene eucarístico diocesano com todas as Paróquias e comunidades nas Unidades Pastorais?”, questionou o prelado.

O bispo de Bragança-Miranda deixou ainda uma palavra aos santuários para que ajudem os peregrinos ao “encontro profundo com Cristo” e que cuidem da celebração da eucaristia.

“Sendo a celebração eucarística o suporte da múltipla ação dos santuários (catequese, culto, caridade e cultura), será frutuoso: levar os peregrinos – partindo da peculiar devoção do santuário – a um profundo encontro com Cristo; cuidar da celebração exemplar da Eucaristia; encorajar e cuidar a prática do sacramento da Penitência, assegurando, segundo as  possibilidades, a disponibilidade de confessores em horários úteis para as pessoas”, pediu.

Na sua intervenção D. José Cordeiro fez ainda referência à exortação do Papa Francisco em ordem à Jornada Mundial da Juventude de 2022, a realizar-se em Lisboa, ao 52º Congresso Eucarístico Internacional em Budapeste, a decorrer em setembro de 2020, e deixou 18 propostas pastorais práticas para a celebração da Eucaristia. 

SN

Partilhar:
Share