Diocese vai receber monjas trapistas em Palaçoulo

Foto: Diocese de Bragança-Miranda

Évora, 16 set 2020 (Ecclesia) – O bispo de Bragança-Miranda disse à Agência ECCLESIA que o recomeço do ano pastoral está a ser preparado “com serenidade e com confiança”, para dar início a uma caminhada pastoral rumo à Jornada Mundial da Juventude em Lisboa, no verão de 2023.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, D. José Cordeiro destaca que o programa dos próximos meses vai “assentar, sobretudo, na Igreja serva que educa, que celebra, que festeja, sublinhando que Igreja é missão e na proposta sinodal que fazemos com os jovens”.

O responsável católico acrescentou que é no “alinhamento” do que se professa no “Credo – creio na Igreja una, santa, católica e apostólica” – que os católicos de Bragança-Miranda vão “prosseguir nos próximos três anos”.

A “nova etapa”, “um triénio rumo à Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023”, vai começar “no sábado anterior ao primeiro domingo do Advento”, dia 28 de novembro, dado que diocese transmontana faz coincidir “o início do ano pastoral com o ano litúrgico”.

D. José Cordeiro adianta que o Conselho Presbiteral vai reunir-se esta sexta-feira e depois vão realizar a assembleia do clero, no dia 7 de outubro, procurando ainda “auscultar o Conselho Pastoral, os vários arciprestados”, para “dar início a uma nova etapa desta corresponsabilidade ou sinodalidade na Igreja”.

A Diocese de Bragança-Miranda também espera que o início do novo ciclo em novembro “seja possível a presença de todas as irmãs trapistas no mosteiro em Palaçoulo, Miranda do Douro.

As 10 monjas da Ordem Cisterciense da Estrita Observância, ligadas ao Mosteiro de Vitorchiano, em Itália, vão começar a chegar em outubro, “com o bilhete só de ida”, esperando-se que algumas semanas depois se dê início à vida comunitária.´

Numa primeira fase, explica D. José Cordeiro, as religiosas “vão viver na própria casa de acolhimento”, mas alguns quartos vão ficar disponíveis, progressivamente.

“Acreditamos que seja este lugar de paz e de esperança que renove a vida de oração e a vida ancorada na liturgia”, acrescentou.

No âmbito vocacional, o bispo da Diocese de Bragança-Miranda partilhou “um sinal de Deus”, destacando que “Deus já ofereceu 10 novas vocações” ao Mosteiro de Vitorchiano desde que as 10 monjas que vão constituir a comunidade em Palaçoulo vivem de forma autónoma, “praticamente há três anos”, dentro do mosteiro italiano.

“Por isso, acreditamos que também aqui aconteça”, referiu D. José Cordeiro, à margem da Jornada Geral do Clero da Arquidiocese de Évora, onde apresentou a conferência ‘O Acolhimento na Liturgia’.

LFS/CB/OC

Secretariado das Comunicações Sociais – Diocese de Bragança-Miranda

O retiro anual dos sacerdotes da diocese de Bragança-Miranda decorreu na última semana e foi orientado por D. António Taipa, bispo auxiliar de emérito da Diocese do Porto.

No retiro, promovido pela Vigararia Episcopal para o Clero, participaram 17 sacerdotes que cumpriram as medidas de prevenção e segurança, devido à Covid-19, informa o Secretariado das Comunicações Sociais da diocese transmontana.

Partilhar:
Share