Foto: SNEC

Braga, 27 jan 2020 (Ecclesia) – O Centro Regional de Braga da Universidade Católica Portuguesa (UCP) organizou este sábado o 5.º encontro ‘Do Clique ao Toque’, com meia centena de educadores, sob o tema ‘Educar em Rede, conectados’.

O padre Rui Alberto, diretor das Edições Salesianas, desafiou os participantes a serem capazes de “fazer memória” e a ajudar as novas gerações a “fazer escolhas”.

“Na escola, hoje, precisamos de um educador que seja ‘viajante no tempo’, alguém que ajuda a fazer pontes entre o passado, o presente e o futuro”, afirmou o religioso salesiano.

Perante uma “sociedade altamente informatizada”, o especialista considerou fundamental “recuperar a ideia de que educar é, antes demais, cuidar dos rostos que temos pela frente”.

“A nossa tarefa hoje será a de cuidar dos rostos. Vivemos numa situação em que nos sentimos ‘únicos’, no meio de um individualismo radical e numa massificação que sendo antagónicas, convivem bem”, apontou, numa intervenção divulgada pelo portal Educris, do Secretariado Nacional da Educação Cristã.

Em contexto familiar, o padre Rui Alberto considerou ser necessário “passar do contrato prazo” ao “casal, aberto aos filhos” numa consciência “de que a família não é apenas um lugar de amizade, mas um espaço para crescer juntos”.

No final da sua apresentação, o especialista considerou que educar “não é apontar uma meta,” mas “ensinar a viver” para ser “possível apontar caminhos de sentidos”.

Foto: SNEC

Paula Peres, da Unidade de e-Learning e Inovação Pedagógica do Politécnico do Porto apresentou o tema ‘Educação Superior na era Digital: Mitos, desafios, passado e futuro’.

“Perante a diversidade de possibilidades coloca-se a questão essencial de saber ‘que metodologia utilizar perante um grupo de alunos’”, indicou a convidada, considerando que “nem sempre o digital se apresenta como a melhor resposta e que cabe aos educadores a escolha da melhor técnica para que o resultado seja o melhor”.

Os trabalhos incluíram um conjunto de workshops práticos sobre aplicações informáticas e inovação pedagógica, em catequese e nas aulas de EMRC.

OC

Partilhar:
Share