D. José Cordeiro presidiu a Abertura Regional do Ano Escutista

Braga, 24 set 2022 (Ecclesia) – O arcebispo de Braga presidiu hoje à abertura regional do Ano Escutista, desafiando os membros do movimento a superar os “muros de indiferença” do mundo contemporâneo.

“Nós não nos salvamos sozinhos, procurando unicamente o nosso bem-estar, construindo muros de indiferença”, referiu D. José Cordeiro na homilia da Missa que reuniu milhares de escuteiros, no centro da cidade.

O arcebispo primaz recordou que o Núcleo de Braga viu nascer, a 27 de maio de 1923, o “Corpo de Scouts Católicos”, através de D. Manuel Vieira de Matos e Avelino Gonçalves.

“O mundo precisa que nós façamos da nossa vida dom. A quem serve a nossa vida? A quem servem os nossos talentos? Por quem dás a tua vida? O sonho de Jesus é que a nossa vida não se esgote só nas nossas necessidades e confortos”, pediu.

Para D. José Cordeiro, é fundamental superar a “insensibilidade diante do sofrimento” alheio.

“É uma tentação vivermos sempre a evitar problemas, procurando tranquilidade, não nos comprometendo com nada que nos possa complicar a vida, limitando-nos a defender o nosso bem-estarzinho”, advertiu.

O arcebispo de Braga sublinhou a identidade católica do Corpo Nacional de Escutas, que se deve traduzir em gestos de “serviço”.

A abertura regional do Ano Escutista teve várias atividades, ao longo do dia, e concluiu-se na Avenida Central de Braga.

OC

Partilhar:
Share