Com abstenção do Bloco de Esquerda e votos favoráveis das restantes bancadas e deputados único

Foto Lusa

Lisboa, 06 jan 2023 (Ecclesia) – A Assembleia da República aprovou hoje um voto de pesar pelo falecimento Papa emérito Bento XVI, que morreu aos 95 anos, a 31 de janeiro, com votos de todas as bancadas, dos deputados únicos e abstenção do Bloco de Esquerda.

“Destacou-se enquanto pensador e intelectual, produzindo sólida reflexão, nomeadamente em torno da união da fé e da razão, e lançou importantes pontes de diálogo com não crentes”, lê-se no voto de pesar apresentado pelo presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, e subscrito pelas bancadas do PS, PSD, Chega e Iniciativa Liberal.

Bento XVI, Papa entre 2005 e 2013, faleceu a 31 de dezembro de 2022, aos 95 anos de idade; a Missa exequial, presidida pelo Papa Francisco, realizou-se na manhã desta quinta-feira, na Praça de São Pedro.

A Assembleia da República, reunida em sessão plenária, expressa “o seu profundo pesar” pelo falecimento do Papa emérito Bento XVI, “endereçando à Igreja Católica e a toda a sua comunidade as mais sentidas condolências”, lê-se no projeto de Voto de Pesar (n.º 224/XV) pelo “eminente teólogo”.

O parlamento português recorda que o cardeal Joseph Ratzinger foi eleito Papa em 2005, renunciou ao cargo em 2013, e num “histórico gesto” tornou-se ‘Papa Emérito’, “numa inédita coabitação com o seu sucessor, mas cumprindo escrupulosamente o seu voto de recolhimento e discrição”.

“O seu legado refletirá certamente a importância deste gesto fundacional, bem como o empenho e a dedicação que Bento XVI revelou no seu magistério, em tempos difíceis para a Igreja Católica”, desenvolve no voto, referindo também que “teve um papel de relevo no Concílio Vaticano II”, e assumiu, durante um longo período, “a importante responsabilidade” de prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé da Santa Sé.

Portugal assinalou também o falecimento do Papa emérito com um dia de luto nacional, esta quinta-feira, 5 de janeiro, dia do funeral de Bento XVI.

No 31 de dezembro, o presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou uma mensagem de condolências ao Papa Francisco, António Costa, primeiro-ministro português, e Augusto Santos Silva também assinalaram o falecimento do Papa emérito, na rede social Twitter.

CB/PR

 

Igreja/Portugal: Bento XVI «permaneceu um símbolo de estabilidade e de defesa dos valores da Igreja Católica», afirmou o presidente da República

Partilhar:
Share