Organismo oferece assistência espiritual, médica, terapêutica e psicológica

Beja, 09 jun 2020 (Ecclesia) – O bispo de Beja criou uma Comissão para Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis, solicitada pelo Papa a todas as dioceses católicas, assumindo o desafio de criar um “ambiente seguro”.

O anúncio da criação do novo organismo foi feito pelo semanário diocesano, ‘Notícias de Beja’, assinalando que eventuais denúncias de abusos podem ser encaminhadas para o endereço de correio eletrónico protecaodemenores@diocese-beja.pt, criado para o efeito.

A provisão episcopal assinada por D. João Marcos, bispo de Beja, precisa que a missão da Comissão passa por “assegurar que sejam tratados com dignidade e respeito quantos afirmam que foram ofendidos, bem como as suas famílias, e proporcionar-lhes acolhimento, escuta e acompanhamento” através de serviços específicos, como “assistência espiritual, médica, terapêutica e psicológica “.

O documento deixa ainda indicações sobre os “suspeitos de atentarem contra o bem-estar ou a integridade de menores ou de adultos vulneráveis”, determinando que “a Comissão deve providenciar que sejam informados e se possam defender das acusações”, oferecendo “assistência espiritual, médica, terapêutica e psicológica”.

Em 2019, o Papa publicou a Carta Apostólica ‘Motu Proprio Vos estis lux mundi’, com disposições gerais a aplicar em caso de denúncias de abusos sexuais de menores ou de pessoas vulneráveis.

O documento determinou a criação, em todas as dioceses católicas, de “um ou mais sistemas estáveis e facilmente acessíveis ao público” para eventuais denúncias, até junho deste ano.

OC

Partilhar:
Share