Bispo presidiu a Missa na solenidade do Corpo de Deus na Catedral diocesana

Foto: C.M. Beja

Beja, 11 jun 2020 (Ecclesia) – O bispo de Beja presidiu hoje à Missa da solenidade do Corpo de Deus na Catedral Diocesana, convidando os católicos a regressar à participação nas celebrações comunitárias, que estiveram suspensas entre março e maio por causa da pandemia.

“Terminado o tempo do confinamento, é a hora de retomarmos o ritmo semanal da Missa do domingo. Não tenhais medo de vir à Igreja”, declarou D. João Marcos, na homilia da celebração, enviada à Agência ECCLESIA.

O responsável católico sublinhou a importância da Eucaristia, na vida dos católicos, alimentando o sentido de comunidade.

“Não é a mesma coisa vermos os outros celebrarem a Eucaristia ou estarmos com eles na mesma celebração. Se somos cristãos, não podemos viver sem celebrar a Eucaristia, sem a Missa dominical. Celebremos a Eucaristia para vivermos eucaristicamente, para sermos herdeiros da Vida Eterna que o Senhor nos prometeu”, disse.

O bispo de Beja realçou que, por causa da pandemia, a celebração do Corpo de Deus acontece com limitações, que impediram a procissão pelas ruas da cidade, mas destacou que isso não impede de celebrar o “mistério do amor do Senhor pela sua Igreja”.

“É comungando o Corpo do Senhor que cultivamos a comunhão fraterna”, acrescentou.

D. João Marcos referiu que a participação na Missa e a Comunhão eucarística exigem a reconciliação com os outros e com Deus.

A Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo, conhecida popularmente como “Corpo de Deus”, começou a ser celebrada há mais de sete séculos e meio, na cidade de Liège, atual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja Latina pelo Papa Urbano IV, através da bula Transiturus, em 1264, dotando-a de Missa e ofício próprios.

OC

Partilhar:
Share